Blogues JN Redes
 

As nossas escolhas

Obras em

Destaque

Resultados por tag: Notícias

Novo livro de Germano Silva apresentado no Porto

30

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 15:15
Tags:
0 comentários

 


A última sessão de 2016 do Porto de Encontro acontece já neste sábado, dia 3, às 17.30 horas, e tem Germano Silva como protagonista.

No auditório da Biblioteca Almeida Garrett, o jornalista e historiador, recentemente distinguido pela Universidade do Porto com o título de Doutor Honoris Causa, vai partilhar com os presentes algumas das múltiplas histórias acumuladas ao longo dos anos sobre o Porto.


Na ocasião, vai ser lançado o livro Porto revisitado, uma seleção de crónicas do autor feitas por figuras da cidade. A obra inclui ainda três crónicas inéditas.

O Rancho Folclórico do Porto e o jornalista Pedro Olavo Simões são os outros intervenientes da sessão,


O Porto de Encontro é um ciclo de conversas com escritores promovido pela Porto Editora desde Novembro de 2001 que visa a a proximação entre os autores e o público.

 

As 50 sessões já realizadas atraíram mais de 15 mil espectadores em diversos espaços da cidade, como a Casa da Música, o Teatro Rivoli, a Casa das Artes ou o Teatro Nacional São João.

Inédito de W. G. Sebald já chegou às livrarias

25

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 23:22
Tags:
0 comentários

 

 

 

A descrição da infelicidade, um livro do escritor alemão W.G. Sebald inédito em Portugal, chegou às livrarias portuguesas pela Quetzal Editores.
 
Publicado há 31 anos pela primeira vez na sua língua de origem, o livro consiste numa análise do ambiente psicológico que antecede e condiciona a escrita austríaca protagonizada por grandes nomes - como Stifter, Schnitzler, Kafka, Hofmannsthal, Canetti, Bernhard e Handke - e da ponte que a literatura estabelece entre a infelicidade e o consolo.
 
«A melancolia, a reflexão sobre a infelicidade consumada, nada tem a ver com o vulgar desejo de morte. É uma forma de resistência. E, sobretudo ao nível da arte, a sua função, está longe de ser meramente reativa ou reacionária. Quando ela, de olhar fixo, pensa uma vez mais no que nos arrastou até aqui, bem se vê que o impulso que leva ao desespero e o que leva ao conhecimento são agentes idênticos. A descrição da infelicidade traz em si a possibilidade de a superar”, escreve o autor.

Autor de livros incontornáveis como Austerlitz ou Os Anéis de Saturno, Sebald, falecido em 2001, tem vindo a influenciar novas gerações de escritores, como Teju Cole ou Zia Haider Rahman. Susan Sontag destacou a força invulgar da linguagem de Sebald, a sua seriedade festiva, a sua maleabilidade, a sua precisão”.
 

Porto recebe no domingo homenagem a Ruy Belo

20

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 16:13
Tags:
0 comentários

 



Com a participação de Teresa Belo, Luís Miguel Cintra, Fernando Pinto do Amaral e Fernando Centeio, o poeta Ruy Belo vai ser alvo de uma homenagem na próxima edição do Porto de Encontro. A sessão realiza-se no próximo domingo, dia 27, às 17 horas, no auditório da Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, e tem entrada livre.



Além da leitura de poemas do autor e da conversa moderada pelo jornalista Sérgio Almeida, a sessão conta com dois aliciantes adicionais: o lançamento da nova edição do livro Boca bilingue, publicado originalmente há meio século, e a projeção de um excerto do documentário Ruy Belo, era uma vez.



Prematuramente falecido em 1978, com apenas 45 anos, Ruy Belo é um dos autores nucleares do século XX português. Poeta e ensaísta, deixou-nos uma dezena de obras, entre as quais títulos incontornáveis como A margem da alegria, País possível e O problema da habitação.



A sessão do próximo domingo assinala ainda os cinco anos e a 50ª sessão do Porto de Encontro, um ciclo de conversas com escritores que ao longo desse período recebeu perto de 16 mil espectadores. Entre os autores que já passaram pelo Porto de Encontro figuram Luis Sepúlveda, Mia Couto, Mário de Carvalho, Rentes de Carvalho e Ana Luísa Amaral.

“O Código Da Vinci” em versão juvenil

18

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 18:42
Tags:
0 comentários

 

 

Uma nova edição de O código Da Vinci, com adaptação do próprio Dan Brown, já está disponível nas livrarias portuguesas.

A edição, que tem como objetivo chegar a uma nova geração de leitores, apresenta uma capa adaptada ao público jovem e uma vintena de imagens coloridas que mostram os locais e as obras de arte mais marcantes da narrativa do autor norte-americano.

A intervenção de Dan Brown pretendeU tornar mais acessível a obra que o consagrou junto de uma faixa de público. As alterações passaram ainda por uma maior interatividade com os leitores, que ao longo do livro vão sendo instados a desvendar os enigmas colocados.

O lançamento comprova a importância crescente do segmento young adult, um dos nichos que apresenta um ritmo de crescimento mais elevado.

Publicado originalmente em 2003, O Código Da Vinci é um dos romances mais bem sucedidos comercialmente de todos os tempos. O livro vendeu 82 milhões de exemplares, sendo que mais de meio milhão se reportam ao mercado português.

A adaptação cinematográfica do livro, protagonizada por Tom Hanks, repetiu as pisadas de sucesso, ao obter receitas avaliadas em 800 milhões de dólares.

Vem aí uma edição de luxo da "Tabacaria"

11

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 19:51
Tags:
0 comentários

 

 

 

 

Um dos mais célebres poemas de Fernando Pessoa, escrito sob o heterónimo de Álvaro de Campos, Tabacaria chega às livrarias portuguesas numa ambiciosa edição da Guerra & Paz

 
A obra é constituída por um caixa de madeira no interior da qual encontramos um livro de 176 páginas que combina poesia, prosa e fotografia.

Do objeto faz parte uma pasta em couché, em cujo interior estão 25 fotografias da autoria de Pedro Norton. As três faces do miolo do livro são pintadas à mão, a azul ciano e a lombada, também pintada no mesmo azul, apresenta a costura à vista.

Outra das especificidades é o facto de se tratar de uma edição multilingue. São cinco os idiomas presentes: português, inglês, castelhano, francês e italiano.

Segundo a Guerra & Paz, a tiragem é reduzida a 1500 exemplares e não contempla a possibilidade de reedição, já que se trata de um projeto editorial direcionado para os colecionadores.

O preço de venda ao público cifra-se em 70 euros, mas até ao próximo dia 20 decorre um período de pré-venda com condições especiais (desconto de 30%, num total 49 euros, e oferta de portes de envio).

Escrito em 15 de Janeiro de 1928, Tabacaria foi originalmente publicado na revista Presença, em julho de 1933, e é considerado um dos poemas mais significativos do século XX.

2017 vai ser o "ano Bolaño"

04

Novembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 16:50
Tags:
0 comentários

 

 

Dois mil e dezassete promete ser “o ano Bolaño”. A Quetzal, editora que publica em Portugal os livros do autor chileno, anunciou a publicação de três livros inéditos em Portugal.

Em abril, será publicado O espírito da ficção científica que será brevemente apresentado na Feira do Livro de Guadalajara, no México. Para o segundo semestre estão previstos outros dois livros.

O primeiro intitula-se Pátria e reúne três novelas (além da que dá o título ao livro, "Sepulcros de vaqueros e “La comedia de horror de Francia, no original).

No final do próximo ano vai ser publicada a primeira edição em Portugal de *** assassinas, volume que reúne narrativas centrais na obra deste autor.

O “ano Bolaño” termina com a reedição de Detetives selvagens e uma edição especial de 2666. Este romance foi eleito o melhor livro de língua espanhola dos últimos 25 anos.

A lista, publicada pelo suplemento literário do jornal “El País”, “Babelia”, foi da responsabilidade de um júri que reuniu críticos, escritores e livreiros. Em terceiro lugar ficou ainda outro livro do escritor chileno, “Detetives selvagens”. 

Richard Zimler apresenta novo livro no Porto

26

Outubro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 16:14
Tags:
0 comentários


 

Richard Zimler é o autor em destaque na 49ª sessão do Porto de Encontro, que se realiza já neste sábado, dia 29, às 17 horas, no auditório da Biblioteca Almeida Garrett, no Porto.



O Evangelho segundo Lázaro, o novo romance do autor de Os anagramas de Varsóvia”, vai ser apresentado durante a sessão, em que também participam Valter Hugo Mãe (leituras) e Hélder Pacheco.

 A viver em Portugal desde o início da década de 90, Richard Zimler é autor de uma dezena de romances, incluindo O último cabalista de Lisboa, A sentinela ou A sétima porta. Tem também vários livros publicados para a infância, dos quais o mais recente é O cão que comia chuva.

O Porto de Encontro é um ciclo de conversas com escritores promovido pela Porto Editora que, desde Novembro de 2011, já recebeu a presença de grandes nomes da literatura como Luis Sepúlveda, Gonçalo M. Tavares, Mário de Carvalho, Lídia Jorge ou Mia Couto.



Realizadas em locais emblemáticos do Porto, como o Teatro Nacional São João, Teatro Rivoli, Casa da Música ou Teatro do Campo Alegre, as sessões já realizadas atraíram um total de 15 mil espectadores.
 

Maia recebe comunidades de leitores de todo o país

19

Outubro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 18:53
Tags:
0 comentários

 

 

A primeira edição do Encontro Nacional de Comunidades de Leitores de Bibliotecas Públicas decorre já neste sábado, dia 22, na Maia, com a presença de representantes de 11 grupos (Maia, Vila Nova de Cerveira, Valença, Gaia, Vila Real, Sertã, Loures, Almada, Beja, Coimbra e Figueira da Foz) oriundos de várias regiões do país.

 

A iniciativa pretende assinalar os 10 anos de existência da comunidade maiata, uma das maiores do país, mas também visa a criação de um espaço alargado de partilha de experiências de leitura no seio das comunidades de leitores.

 

Segundo Jorge Silva, orientador da Comunidade de Leitores da Biblioteca Municipal da Maia, “dar visibilidade, mostrar o trabalho feito e motivar pelo trabalho feito são três excelentes razões para se avançar com o projeto, que tanto de arrojado como de aliciante e inovador”.

 

Do programa destaca-se, às 11.30 horas,  a conversa de Valter Hugo Mãe com os leitores sobre o seu novo romance, Homens imprudentemente poéticos, bem como o anterior, A desumanização.

 

Ainda de manhã, às 10 horas, na Biblioteca Municipal da Maia, realiza-se um debate subordinado ao tema “Escritores irreverentes”, com Isabel Rio Novo, Miguel Miranda, Paulo M. Morais e o moderador Jorge Silva.

 

A tarde vai ser preenchida com intervenções de vários responsáveis das comunidades de leitores que se vão debruçar sobre temas como “Dos livros aos afetos, as comunidades de leitores como espaços de fruição ativa”, “Leituras cúmplices” ou “Uma ideia, um sonho”:

Novo livro de Rodrigues dos Santos divide especialistas

12

Outubro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 16:06
Tags:
0 comentários

 

 Vaticanum marca regresso de José Rodrigues dos Santos aos thrillers religiosos

 

Sérgio Almeida

 

Cinco anos depois de ter enfurecido a Igreja Católica com O último segredo, romance que dizia descodificar “um desconcertante enigma das Escrituras”, José Rodrigues dos Santos (JRS) faz regressar Tomás Noronha ao Vaticano para nova teoria conspirativa, intitulada Vaticanum.

 

No centro do romance – apresentado no passado sábado, dia 8, na Sociedade de Geografia, em Lisboa – encontra-se agora o rapto do Papa por uma célula do Estado Islâmico, o que desencadeia uma onda de violência pelo Mundo fora e a habitual intervenção salvífica do historiador-detetive.


É cedo ainda para sabermos se o Secretariado Pastoral de Cultura vai repetir as críticas violentas feitas ao autor (acusado de fazer “uma imitação requentada, superficial e maçuda” de teorias já existentes).

 

Se é certo que não há, desta vez, alusões às Escrituras, em compensação são várias as referências “ao segredo mais sombrio da Santa Sé”.

 

Menos questionável é, para o painel de especialistas ouvidos pelo JN, a atração que o tema da religião exerce sobre tantos autores.

 

Um interesse (comercial) que disparou desde que Dan Brown publicou, em 2003, O código Da Vinci, dando origem a uma infinidade de sucedâneos.

 

“Basicamente, tudo o que tem que ver com segredos do Vaticano vende”, resume Helena Vilaça, professora do Instituto de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto especializada em religiões.

 

Para a também investigadora, “o problema destes livros é que não se sabe onde começa a realidade e acaba a ficção”. “Misturam elementos e confundemas pessoas, acentuando a iliteracia religiosa”, critica.

 

Ainda mais contundente é o padre Mário de Oliveira, que acusa JRS de contribuir para a “exploração e alienação pura”. “Se ele fosse um jornalista lúcido e altruísta, posicionar-se-ia do lado das vítimas e seria um porta-voz delas. Mas, assim, não venderia certamente tanto”, observa, lamentando “as soluções ligadas ao entretenimento” que as pessoas escolhem “para fugir à solidão”.

 

Em contraciclo com as posições de Helena Vilaça e Mário de Oliveira, o sociólogo e etnólogo Moisés Espírito Santo vê um fundo “útil” neste género de obras, ao contribuírem para um escrutínio mais efetivo da Santa Sé e da Cúria Romana, as quais considera “irreformáveis”, apesar “de toda a boa vontade já revelada
pelo Papa Francisco”.

 

Até por isso, a elevada procura destes livros não o surpreende. “O fascínio pelo além e sobrenatural” é a razão mais forte que encontra para este interesse. Um paradoxo na era da ciência? “O desenvolvimento tecnológico trouxe novas questões. Com o avanço do pensamento, há mais propostas sobre o imaterial”, defende.

Mário de Carvalho lança livro no Porto

07

Setembro

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 15:33
Tags:
0 comentários

 

 

A sexta temporada do ciclo literário Porto de Encontro tem arranque marcado já para o próximo domingo, dia 11, às 18 horas, na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, numa sessão inserida na programação da Feira do Livro do Porto.


O convidado é Mário de Carvalho, autor cimeiro das letras portuguesas que regressa à publicação com Ronda das Mil Belas em Frol, livro que narra, com o peculiar estilo literário do autor, aventuras amorosas fugazes.


Nascido em Lisboa em 1944, Mário de Carvalho é autor de uma obra numerosa que já percorreu o conto, a novela, o romance e o teatro, granjeando milhares de leitores. Entre os seus livros mais significativos constam títulos como Contos da Sétima Esfera, Era Bom que Trocássemos umas Ideias sobre o Assunto e Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde.


A sessão vai contar ainda com a participação da professora universitária e ensaísta Ana Paula Arnaut e do ator Rui Spranger.

James Patterson fatura mais do que Cristiano Ronaldo

05

Agosto

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 17:26
Tags:
0 comentários

 

 

James Patterson continua a ser o escritor mais popular do Mundo

 

Sérgio Almeida


Noventa e cinco milhões de dólares (o equivalente a 86 milhões de euros) foi o rendimento obtido pelo escritor norte-americano James Patterson no último ano (entre junho de 2015 e junho de 2016), segundo dados da revista Forbes.

A impressionante verba torna Patterson, autor de séries como Alex Cross” ou Maximum Ride, no escritor mais bem pago do mundo, à frente de outros pesos-pesados como Jeff Kinney, autor de Diário de um banana (19.5 milhões de dólares ganhos), e a inevitável J. K. Rowling, com uns 'parcos' 19 milhões,

Os impressionantes números do rei dos best-sellers pedem meças até a figuras das áreas do entretenimento e do desporto, normalmente as mais bem pagas. O autor de êxitos como Perigo duplo e Salvar o Mundo só é ultrapassado pela cantora Taylor Swift (com uns inatingíveis 195 milhões) e pela banda One Direction (110 milhões).

Os proventos do autor norte-americano permitiram-lhe mesmo ultrapassar na lista Cristiano Ronaldo, o atleta mais bem pago do Mundo, com os seus 88 milhões de dólares.

A maior novidade da lista é a entrada de Paula Hawkins, autora do thriller A rapariga no comboio. Editado em Portugal pelo Grupo 20120 – através da chancela Topseller –, o romance subiu diretamente para o nono lugar da tabela, graças aos 10 milhões de dólares obtidos no ano passado.

Entre nós, o rlivro, cuja adaptação ao cinema estreia já a 6 de outubro, com Emily Blunt no papel principal, encontra-se há um ano no top 10 de ficção, com 17 edições e 88 mil exemplares editados.

Na mesma tabela figuram outros autores bem familiares dos leitores portugueses. São disso exemplo John Grisham (4º lugar/18 milhões de dólares),  Stephen King (5º/15 milhões), Danielle Steel (6º/15 milhões), Nora Roberts (7º/15 milhões), E. L. James (8º/14 milhões), e John Green (10º/10 milhões), ex aequo com Veronica Roth.
 

Escritores portugueses homenageiam refugiados

03

Julho

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 17:30
Tags:
0 comentários

 

 

Nove contos inéditos  sobre os refugiados de alguns dos mais talentosos autores portugueses da atualidade estão reunidos no livro Uma Terra Prometida – Contos sobre refugiados.

Afonso Cruz, Ana Margarida de Carvalho, Carlos Vaz Ferraz, Cristina Carvalho, Filomena Marona Beja, José Fanha, Miguel Real, Nuno Camarneiro e Sérgio Luís de Carvalho são os nove escritores que criaram narrativas acerca da palavra do ano em 2015: refugiado.

De acordo com a IN Edições, responsável pela publicação, "são nove histórias que nos obrigam a uma viagem à realidade daqueles que nada têm a perder e cuja única motivação é a sua enorme esperança num futuro melhor. Histórias sobre a fuga e a perda, o caminho e o perigo, sobre o recomeço, ou o fim definitivo. Histórias que, por nos falarem dos limites do humano, muito além dos laços culturais, geográficos ou religiosos, poderiam, afinal, ser sobre qualquer um de nós"

 O livro marca a estreia na literatura nacional da IN Edições, chancela que afirma "promover um estilo de vida independente, intimista, invencível e apaixonante. Direcionada para o público em geral, mas focada sobretudo no universo feminino, a nossa missão é proporcionar momentos de lazer, felicidade e bem-estar àqueles que não dispensam a companhia de um livro".

Foz Côa homenageia Manuel António Pina

19

Junho

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 22:10
Tags:
0 comentários

 

 

O Festival de Poesia de Vila Nova de Foz Côa, um dos mais antigos eventos literários em Portugal, regressa este ano, com dois fins de semana repletos de atividades.

 

Já no próximo dia 25, sábado, o poeta Manuel Alegre vai ser alvo de uma homenagem, marcada para as 17 horas, no pequeno auditório do Centro Cultural local. O tributo vai consistir num encontro-leitura com o poeta, seguido de uma sessão de autógrafos. As atividades iniciam-se meia hora antes, com intervenções do presidente da Câmara de Foz Côa, Gustavo Duarte, e do diretor do festival de poesia, Jorge Maximino.

 

 Na sexta-feira seguinte, dia 1 de julho, estão previstas sessões de leituras de textos poéticos, asseguradas pelo ator João d'Ávila, uma conferência de Teresa Martins Marques sobre a obra de David Mourão-Ferreira e apresentação do livro de Ernesto Rodrigues Do movimento operário e outras margens.

 

Sábado, 2 de julho, apresenta o programa mais completo.O ponto alto acontece às 15.30 horas, com uma homenagem a Manuel António Pina, feita em vários momentos. Primeiro, tem lugar uma leitura de textos (em que participam, entre outros, António José de Almeida, Aurelino Costa e Minês Castanheira), a que se segue um debate com Sousa Dias, João Luís Barreto Guimarães e Ernesto Rodrigues. Depois da exibição de um fragmento de um documentário sobre o poeta natural do Sabugal, da autoria de Alberto Serra, o coletivo de poesia Sindicato do Credo vai apresentar uma performance multimédia intitulada Regresso devagar ao teu sorriso. A apresentação de uma antologia de entrevistas ao autor de Como se desenha uma casa encerra a homenagem.

 

No dia, há ainda a destacar um debate sobre a poesia portuguesa, "entre tradições, transgressões e desassossegos", em que participam Fernando de Castro Branco, Sousa Dias, Maria João Cantinho e Ernesto Rodrigues.

Francisco José Viegas escreve livro de viagens

08

Junho

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 15:02
Tags:
0 comentários

 

 

Um livro de viagens de Francisco José Viegas sobre a região indiana de Caxemira marca o início da colaboração entre a empresa Nomad e o festival Literatura em Viagem, que  prevê a publicação anual de obras deste género.


Escritor, editor e jornalista, Francisco José Viegas irá escrever sobre a Caxemira de ontem e de hoje, “revelando um território envolto em mistério e conflito, eternamente dividido, mas que merece ser viajado”, afirmam os promotores do projeto, em comunicado.

De acordo com o que está previsto, o livro resultante desta viagem será apresentado na próxima edição do Literatura em Viagem, em Matosinhos, que decorrerá nos dias 12, 13 e 14 de maio 2017.

A ligação do romancista às viagens é por demais evidente, tanto no plano profissional (foi diretor da revista Grande Reportagem), mas também nos livros. As histórias protagonizadas pelo detetive Jaime Ramos situam-se, muitas vezes, em locais distantes, seja Brasil, Moçambique ou Austrália.

Com o livro Longe de Manaus, foi galardoado em 2005 com o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores.

Diretor da revista Ler e responsável editorial da Quetzal, Francisco José Viegas chegou a dirigir a Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, e exerceu o cargo de Secretário de Estado da Cultura do XIX Governo Constitucional.

O regresso da mítica Coleção Vampiro

22

Maio

2016

Publicado por Sergio_Almeida às 15:45
Tags:
0 comentários

 


Referência para sucessivas gerações de leitores de policiais, a Coleção Vampiro regressa já às livrarias a 26 de maio, dia em que vão ser relançados os livros Os crimes do Bispo, de S.S. Van Dine , e Vivenda Calamidade, de Ellery Queen.

A Livros do Brasil, adquirida pelo Grupo Porto Editora, retoma desta forma a emblemática coleção de clássicos do policial, um ano depois de ter relançado a igualmente marcante coleção Dois mundos.

“Numerados, em formato de bolso e com um preço acessível” – três marcas características desta coleção –, os livros agora lançados permitem recuperar uma das mais populares coleções literárias em Portugal ao longo de várias décadas.

Recorde-se que Coleção Vampiro foi criada no final dos anos 40 e durante a sua existência inicial publicou mais de 700 títulos. Foi a ação da Vampiro que tornou familiares junto do público português autores de referência como Raymond Chandler, Agatha Christie, Dashiell Hammett, Rex Stout, Erle Stanley Gardner, Georges Simenon ou Van Dine e Ellery Queen, muitos deles pioneiros no género e criadores de detetives marcantes que tinham a dedução como principal arma contra o crime.


publicidade

Arquivo do blogue

Fale com o autor

Sérgio Almeida: sergio@jn.pt