Austrália oferece crocodilo bebé ao recém-nascido príncipe de Inglaterra

25/07

2013

às 15:12

As autoridades do Território do Norte da Austrália decidiram presentear o recém-nascido George Alexander Louis, filho dos duques de Cambridge, com um crocodilo bebé, informou hoje a imprensa local.


O réptil, também batizado de George em homenagem ao seu destinatário, descrita como um "presente original" pelo ministro-chefe daquela província australiana, Adam Giles.


"Sabemos que o príncipe George e o casal real receberam muitos presentes oriundos de todo o mundo, mas este é algo único", afirmou o responsável que espera que o novo membro da família real britânica visite a região com os seus pais num futuro próximo.



O crocodilo, que saiu da casca no passado dia 21 de fevereiro e se encontra atualmente 'instalado' num aquário da cidade de Darwin, capital do Território Norte da Austrália, até já tem uma conta na rede social Facebook, onde os seus seguidores podem observar as atividades do animal.


O primeiro filho de William e Kate, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, nasceu na segunda-feira.


O pequeno crocodilo saiu da casca a 21 de fevereiro, depois de o ovo ter sido chocado a 03 de dezembro, o mesmo dia em que os duques de Cambridge anunciaram ao mundo que esperavam uma criança.

Famílias carenciadas e sem abrigo vão receber ajuda para aos seus animais de companhia

24/07

2013

às 15:33

As famílias carenciadas e sem-abrigo, que vivem com animais de companhia e são apoiadas pela Associação CASA, vão receber ajuda para cuidar das necessidades básicas dos seus "melhores amigos", através de uma parceria de duas organizações.



O apoio resulta de uma parceria entre a Associação CASA - Centro de Apoio ao Sem-Abrigo e a Associação Animais de Rua (AR), que se dedica à esterilização e proteção de animais em risco.



Em comunicado, a parceria AR+CA explica que a iniciativa visa ajudar as pessoas apoiadas pela Associação CASA que vivem com animais de companhia, os quais "são, muitas vezes, os seus únicos amigos e companheiros", mas "não têm capacidade para cuidar das necessidades básicas destes membros da família".



"Para que quem perdeu tudo não perca também os seus melhores amigos" é o objetivo das duas associações que pretendem, desta forma, "garantir alimento, esterilização e cuidados básicos de saúde veterinária aos animais de companhia de todos os utentes da CASA".



A primeira ação vai realizar-se, sábado, em Vitória, no Porto, onde a junta de freguesia trabalha com estas duas associações.



Nesta iniciativa, uma equipa de voluntários da CASA e da AR, acompanhada por representantes da Junta de Freguesia de Vitória, visitará todas as famílias que serão beneficiadas pela Parceria AR+CA.



"Depois de sinalizados, todos os animais que vivem ou são protegidos na rua por estas famílias serão registados e passarão a receber apoio alimentar e médico-veterinário (incluindo a esterilização), sempre que necessário", lê-se num comunicado das associações.



Esta parceria, que começa no Porto, deverá estender-se a todo o país.


0 comentários

50 aves selvagens devolvidas à natureza na região Centro

22/07

2013

às 15:08

O Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens (CERVAS) anunciou que vai devolver cinquenta aves selvagens à natureza, em cinco distritos da região Centro, entre o dia de hoje e 11 de agosto.



Segundo Ricardo Brandão, coordenador do CERVAS, vão regressar à Natureza espécies de cegonha branca, milhafre preto, águia cobreira, águia de asa redonda, águia calçada, açor, peneireiro vulgar, mocho galego, coruja do mato, coruja das torres e aves de menor porte, como andorinhões ou melros pretos, que têm estado em recuperação no centro, instalado em Gouveia.




O responsável adiantou à agência Lusa que as aves são libertadas após recuperação de diferentes problemas, tendo sido encaminhadas para o centro, "devido a situações como por exemplo a queda precoce do ninho, atropelamento, cativeiro ilegal ou eletrocussão".



"Todos os animais foram encaminhados para o CERVAS através das pessoas que os encontraram, que nalguns casos os entregaram diretamente no centro, mas na maior parte das situações foram entregues por equipas do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR ou áreas protegidas como a Reserva Natural do Paul da Arzila (Coimbra) ou o Parque Natural da Serra da Estrela", referiu.



As ações de libertação das aves recuperadas vão decorrer, entre hoje e o dia 11 de agosto, em diferentes locais dos distritos de Guarda, Coimbra, Viseu, Castelo Branco e Leiria.



O concelho de Gouveia inaugura hoje a campanha com a devolução de dois andorinhões pretos, pelas 17.30 horas, seguindo-se, na terça-feira, três milhafres pretos e duas cegonhas brancas (18:00, Mata Nacional do Choupal, Coimbra) e de uma coruja das torres, às 20:30, em Foz de Arouce (Lousã).



As restantes libertações, segundo o CERVAS, irão decorrer durante as semanas seguintes e algumas delas farão parte do programa do Festival Tempo d´Aldeia (São Pedro de Rio Seco, Almeida, entre 31 de julho e 4 de agosto), das Festas da Cidade de Gouveia - Senhor do Calvário (9 a 12 de agosto) e do XX Acampamento Regional de Escuteiros na Batalha (7 a 11 de agosto).



Ricardo Brandão anunciou que o centro também irá libertar, em meados de agosto, o animal número mil que foi recuperado naquela instituição.



"Vamos tentar que seja a águia cobreira, encontrada em Unhais da Serra, por ser uma espécie característica da Serra da Estrela", justificou.



O CERVAS é uma estrutura que pertence ao Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade e ao Parque Natural da Serra da Estrela, que se encontra atualmente sob a gestão da Associação ALDEIA.



O centro tem como objetivos detetar e solucionar diversos problemas associados à conservação e gestão das populações de animais selvagens e dos seus habitats.





Pescadores vão ter manual para prevenir capturas acidentais de golfinhos e baleias

18/07

2013

às 16:04

 
Os pescadores vão ter um manual de boas práticas, para prevenir capturas acidentais de cetáceos, pois grande parte dos que dão à costa, acabando por morrer, são animais que ficaram presos em redes de pesca, disse hoje uma especialista.



Todos os anos dão à costa cerca de 200 animais de várias espécies, mais de metade golfinhos, e são muito poucos os que conseguem sobreviver, disse à agência Lusa uma técnica do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Marina Sequeira.



Um projeto financiado pela União Europeia, o MarPro, já em curso, prevê a elaboração e distribuição de manuais de boas práticas de pesca, para sensibilizar a comunidade piscatória para a necessidade de reduzir os níveis de mortalidade acidental que "são elevadissímos", afirmou a técnica do ICNF.



"É uma situação que pode ser considerada normal - temos uma costa muito extensa e várias espécies de golfinhos e baleias", prosseguiu Marina Sequeira adiantando que, "para algumas das espécies, as populações são muito numerosas e a média anual [de capturas] registada nos últimos anos ronda os 200 animais".



Este ano, "para já - e estamos a meio do ano - nada indica que a mortalidade registada até agora tenha sido superior àquela dos anos anteriores", adiantou.



"A grande maioria [de cetáceos] morre, ou porque são animais que já estão doentes, ou porque acidentalmente ficam presos em artes de pesca", casos que representam uma percentagem "muito elevada", apontou a técnica do ICNF.



Marina Sequeira alerta ainda para o facto de ser muito reduzida a percentagem de animais que chegam vivos a terra, sendo ainda mais reduzida a percentagem dos que podem pode ser reabilitados.



Questionada sobre a possibilidade de prevenir as capturas acidentais, a especialista defendeu que, por exemplo, "poderão ser instalados dispositivos dissuasores em determinados tipos de redes, sobretudo em redes de emalhar".



Alguns pescadores do cerco já adotam procedimentos de defesa dos animais e, segundo a técnica do ICNF, quando detetam golfinhos no interior da rede, baixam-na para permitir que o animal saia.



"Há um conjunto de boas práticas de pesca que já estão a ser aplicadas por alguns pescadores, mas há vários procedimentos que podem ser adotados e, eventualmente, contribuir para a redução das capturas acidentais", salientou Marina Sequeira.



No grupo dos golfinhos, a espécie mais abundante na costa portuguesa é o golfinho comum, mas também são encontrados o golfinho riscado, o roaz e a baleia piloto. Entre as grandes baleias, aparece mais a baleia anã, a baleia comum e, ocasionalmente, exemplares de cachalote.



É no norte e em parte do centro do país que ocorrem mais situações de animais a dar à costa, pois são regiões com densidades populacionais mais elevadas e onde a atividade de pesca é mais intensa.



Os animais que dão à costa em bom estado de conservação são recolhidos e, em caso de morte, os técnicos tentam determinar a sua causa, além de preparar amostras depois utilizadas em estudos de biologia e ecologia da espécie, ou em trabalhos para a determinação de contaminantes.

Zoo da Maia recebe tigre branco

26/06

2013

às 17:52

O Jardim Zoológico da Maia anunciou hoje que chegou àquele espaço um "corpulento" tigre branco, nascido em França, e que pode ser visto pelo público a partir de quinta-feira.


O tigre branco foi entregue ao abrigo de um protocolo de conservação estabelecido com um zoo de França, zoo de Fuengirola (Espanha) e o Zoo da Maia, disse à Lusa o diretor do Zoo, Carlos Teixeira, acrescentando que se trata de um "animal corpulento" e "atrativo", que nasceu França.


Os tigres brancos medem aproximadamente três metros e podem pesar de 180 quilos a 285 quilos, enquanto as fêmeas são ligeiramente mais pequenas e leves.


Estes tigres são oriundos dos tigres comuns e são muito raros no estado selvagem, têm olhos azuis, nariz rosa e seu corpo é branco com listas cor de chocolate.


Habitam em zonas pantanosas e florestas, onde se podem camuflar sem dificuldades e estiveram em risco de se extinguirem, vivendo agora em jardins zoológicos. A sua alimentação favorita é composta por Cervídeos, búfalos e outros bovinos.


O Jardim Zoológico da Maia, criado em 1985, é uma instituição sem fins lucrativos, está aberto todo o ano e atualmente rege-se pelo horário de verão, que se estende até 20 de setembro, abrindo portas de segunda-feira a domingo, entre as 9 e as 19 horas.


Os principais objetivos do Jardim Zoológico da Maia é "sensibilizar a sociedade em geral para questões como o ambiente, preservação e proteção de espécies, procriação de animais, colaboração com autoridades e instituições que trabalham diretamente na proteção animal", lê-se na página da Internet do Zoo.


Os ingressos no espaço custam 6,5 euros para adultos e 4 euros para crianças, com a oferta de um gelado.

0 comentários

Destruídos 43 ninhos de vespa asiática no Alto Minho desde dezembro

24/06

2013

às 16:29

A proteção civil informou hoje que desde dezembro já foram destruídos 43 ninhos de vespa asiática (uma ameaça à produção de mel) na região do Alto Minho, 34 dos quais no concelho de Viana do Castelo.


"Temos 43 casos de ninhos participados e todos eles já foram destruídos. No entanto, podemos estar a falar de um número superior tendo em conta não existir qualquer obrigatoriedade de nos participarem essas ocorrências", explicou, à agência Lusa, o Comandante Operacional Distrital Operacional de Operações de Socorro (CODIS) de Viana do Castelo.


Segundo Armando Silva, o "grosso" dos ninhos desta vespa - maior e mais perigosa do que a nacional e que representa uma ameaça à produção de mel - já detetados situou-se no concelho de Viana do Castelo, com 34 casos identificados e destruídos.


Seguem-se os concelhos de Ponte de Lima (4) e Caminha (3), além de Vila Nova de Cerveira e Ponte da Barca, cada um com dois casos.


Um novo ninho terá sido detetado no sábado na freguesia de Sá, em Monção, precisamente à entrada da sede da Junta local. "Tudo indica que será mais um caso, mas ainda estamos a estudar a situação", disse ainda Armando Silva.


Devido à presença deste ninho, o acesso à sede daquela Junta de Freguesia foi "vedado" pela autarquia, como medida de precaução, enquanto este não é removido.


A Proteção Civil de Viana do Castelo apelou à população, no início do ano, para participar a deteção de novos casos de ninhos de vespa asiática na região mas "sem alarmismos".


As autoridades já previam, na altura, um aumento do número de casos nos meses seguintes, à semelhança da progressão da espécie registada em França e Espanha.


Desde dezembro de 2012 que a coordenação das operações de identificação e destruição de ninhos de vespa asiática na região está a cargo da Proteção Civil do distrito, sendo a destruição assegurada normalmente pelos bombeiros, com recurso a lança-chamas adaptados.


A presença desta vespa já se fez sentir em concelhos como Barcelos e Vila Verde, no distrito de Braga.


Segundo Miguel Maia, técnico da Associação Apícola Entre Minho e Lima (APIMIL), além do problema da biodiversidade, ao "prejudicar a alimentação" de outras espécies, trata-se de uma vespa "mais agressiva".


"Faz com que as abelhas não saiam para procurar alimento, porque estão a ser atacadas, enfraquecendo assim as colmeias, que acabam por morrer", explicou, na ocasião.


Ainda assim, admite que não sejam um "perigo imediato" para os seres humanos. "Só se forem lá mexer", disse.


A vespa velutina é originária do sudoeste da Ásia e foi introduzida na Europa através do porto de Bordéus, em França, no ano de 2004.


"De então para cá, já conquistou um terço do território francês e colonizou parte do norte de Espanha, em 2010. No ano seguinte a presença foi detetada em Portugal", explica a APIMIL.

0 comentários

Ordem dos veterinários dá formação a 41 autarquias sobre cães e gatos

06/06

2013

às 14:44

Há 41 câmaras municipais portuguesas que vão receber este mês formação sobre controlo de populações de animais errantes e promoção do bem-estar de cães e gatos no âmbito de um curso lecionado pela Ordem dos Médicos Veterinários.   O curso, gratuito, de 'Etologia Aplicada e Bem-Estar Animal de Cães e Gatos' arranca dias 11 e 12 na Amadora, segue nos dias 13 e 14 para Coimbra, dias 17 e 18 para o Funchal, 20 e 21 em Gondomar e termina dias 25 e 26 em Ponta Delgada.  Entre as câmaras envolvidas contam-se as da Amadora, Albufeira, Cascais, Lisboa, Loures, Moita, Nisa, Odivelas, Oeiras, Silves, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Torres Novas, Coimbra, Cantanhede, Carregal do Sal, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Fundão, Guarda, Mêda, Lousã, Mação, Marinha Grande, Penacova, Proença-a-Nova, S. João da Madeira, Soure, Tábua, Vagos.  Na Zona de Gondomar vão participar as Câmaras de Amares, Gaia, Guimarães, Gondomar, Mondim de Basto, Matosinhos, Póvoa do Varzim, Santa Maria da Feira, Torre de Moncorvo, Valongo, Vila Real.   "Aprofundar conhecimentos sobre comportamento e o maneio adequado de cães e gatos, aprender a avaliar o bem-estar dos animais nos Centros de Recolha Oficiais, fomentar a discussão sobre ética e controlo de populações de animais errantes e promover a responsabilização da posse de animais, são objetivos do curso disse à Lusa fonte da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV).   Segundo Alexandra Simões, da OMV, o curso vai ser dado por três formadores internacionais - dois médicos veterinários do Brasil e um da Colômbia - e um tratador também do Brasil.  O curso conta com o apoio da Associação Nacional de Médicos Veterinários dos Municípios e dos Conselhos Regionais da OMV e nele vão participar 41 câmaras espalhadas por Portugal Continental e Ilhas, e destina-se, principalmente, a tratadores ou outros profissionais que lidam direta ou indiretamente na recolha e maneio de cães e gatos, bem como a médicos veterinários municipais. 

0 comentários

Mergulho com tubarões atrai cada vez mais turistas aos Açores

02/06

2013

às 13:58

 O mergulho com tubarões está a crescer nos Açores, havendo já quatro empresas a oferecer este produto no Pico e Faial e peritos na matéria a dizerem que o arquipélago é considerado o melhor sítio do mundo para esta prática.


O fotógrafo português Nuno Sá, premiado internacionalmente, disse à Lusa que o volume de negócios do mergulho com tubarões nos Açores já gera dois milhões de euros de receitas de forma direta e indireta.


Nuno Sá, que possui vários prémios, já foi distinguido por duas vezes no maior e mais conceituado concurso de fotografia de natureza a nível mundial, o Veolia Environnement Wildlife Photographer Of The Year, organizado pela BBC e Museu de História Natural de Londres, com uma imagem obtida nos Açores de um tubarão azul.


"Nós encaramos tradicionalmente a observação de cetáceos, especialmente o cachalote, como o símbolo turístico dos Açores, mas no Pico e no Faial as empresas que começaram a fazer o mergulho com tubarões já ultrapassaram a atividade do 'wale watching' [observação de baleias]", refere.


Nuno Sá afirma que o mergulho com tubarões está a tornar-se uma "nova atividade", com um crescimento de 30 a 40 por cento por ano, que tem contribuído para desenvolver as empresas turísticas que vendem produtos relacionados com o mar no arquipélago.


"O tipo de cliente que vem para mergulhar com tubarões tem grande poder de compra e, regra geral, trata-se de mergulhadores muitos informados e viajados. Vêm à procura especificamente desta oportunidade única para mergulhar com um dos peixes mais rápidos dos oceanos, sendo os Açores já considerados o melhor sítio do mundo para esta prática", garante.


O fotógrafo concretiza que este tipo de mergulhador não se importa de gastar cinco mil euros numa semana para mergulhar nas Galápagos ou na grande barreira de coral e outros destinos mundialmente famosos, surgindo nos Açores à procura de um "destino de aventura" diferente, sendo o mergulho com tubarões a atividade mais procurada.


Eduardo Bettencourt gere a primeira empresa (Pico Sport), propriedade de um cidadão alemão, que nos Açores se dedicou ao mergulho com tubarões, há três anos, e refere que tem vindo a registar "grandes crescimentos" de procura, sendo uma atividade sazonal, com o ponto alto no verão.


O responsável pela Pico Sport, com sede na ilha do Pico, refere que no grupo central dos Açores, onde há montes submarinos com "muita abundância" de tubarões azuis, existem já quatro empresas que se dedicam a esta atividade.


"Tivemos conhecimento da existência dos tubarões através de um projeto que visava desenvolver um anzol que na pesca do espadarte não matasse as tartarugas, tendo-se verificado que 75 por cento da pesca eram tubarões azuis e marraxo. Face à sua existência, começamos a explorar este mercado", explica Eduardo Bettencourt.


"Por alguma razão a ilha do Pico foi a única que cresceu em termos turísticos, nos Açores, no ano passado. Este crescimento deveu-se ao número de pessoas que vieram para cá mergulhar com tubarões", diz o empresário, salvaguardando que os turistas fazem, em termos globais, dois mergulhos com tubarões, outro com jamanta, optando ainda por mergulhos costeiros.


Eduardo Bettencourt está "convicto" de que as empresas com atividade relacionada com o mar nas restantes ilhas dos Açores vão-se dedicar também, nos próximos anos, ao mergulho com tubarões, uma vez que também existem no resto do arquipélago.


O responsável pela Pico Sport  refere que a maior parte dos turistas dispostos a pagar 225 euros para mergulhar com tubarões azuis são os alemães, seguindo-se os austríacos, suíços, alguns belgas e também russos, que começam a surgir.

0 comentários

Ericeira acolhe primeiro campeonato nacional de surf para cães

01/06

2013

às 17:15

O primeiro campeonato nacional de surf para cães juntou hoje dez participantes e muito público na praia da Ericeira, Mafra, com o objetivo de recolher donativos para associações de animais.


Ana Valente, da organização, disse que a Associação Chão dos Bichos, de Loures, foi a sorteada, para receber todos os fundos que conseguirem realizar com o evento.


"As inscrições dos dez cães não representam muito dinheiro para a associação, mas vamos recolher mais donativos, por exemplo com a venda de fotos", explicou.


Com a praia do Matadouro repleta de público, dez cães mostraram as proezas dentro de água e surpreenderam nesta primeira edição do campeonato nacional de cães surfistas, organizado por uma marca de acessórios para animais de companhia.


Black e Sara, os primeiros quatro patas a entrar dentro de água, mostraram não só a capacidade de não só surfarem várias ondas, como de se manterem em cima da prancha, critérios pontuáveis pelo júri da prova.


A ideia surgiu de provas idênticas realizadas nos Estados Unidos da América e, segundo a organização, está para ficar para ficar em Portugal dada a adesão de público e de animais à Ericeira, a única Reserva Mundial de Surf no país.


Apesar do objetivo social da iniciativa, os vencedores receberam prémios de participação.

0 comentários

Um dos mais velhos ursos em reserva morreu aos 50 anos

01/06

2013

às 14:01

Andréas, um dos mais velhos ursos do mundo que vivem em reservas, morreu aos 50 anos, anunciou hoje a Arctouros, uma organização que protege o urso pardo nas montanhas de Pinde, no nordeste da Grécia.


"Andreas, o urso símbolo da Arctouros, atingiu os 50 anos, quando a média de vida dos ursos fica entre os 25 e os 30 anos", indica um comunicado da organização não-governamental.


Um dos primeiros ursos a viver no refúgio da Arctouros, Andreas era "um dos mais velhos habitantes da reserva (...), assim como de todos os refúgios de vida selvagem do mundo", adianta o comunicado.


O urso foi retirado pela organização a um artista ambulante que o mantinha "num estado miserável" em 1993 e "foi adotado por mais de 300 pessoas", segundo a Arctouros.


A ONG informou ainda que o urso "pesava na altura 90 quilogramas e que nos últimos anos atingiu os 150".


Nos últimos 10 anos, Andréas refugiava-se "num abrigo próprio na floresta, para não ser incomodado pelos outros ursos ou pelos visitantes", adiantou.


Localizada no sopé do monte Nimféo, a Arctouros dedica-se há 20 anos à proteção do ecossistema das montanhas e sobretudo dos grandes mamíferos e do urso.

0 comentários

Borboletas são novo atrativo das praias transmontanas do Azibo

23/05

2013

às 16:49

As praias fluviais do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, têm nas borboletas um novo atrativo para os visitantes neste verão, com a possibilidade de observação de mais de 40 espécies, divulgou hoje a autarquia transmontana.


A oferta será disponibilizada pela Estação de Biodiversidade de Santa Combinha, com inauguração agendada para sábado, e resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, a Tagis (Centro de Conservação de Borboletas de Portugal) e a Associação Geoparque Terras de Cavaleiros.


Esta estação é um espaço inserido na Paisagem Protegida do Azibo que passará a ser "um ponto de visita adicional para os adeptos do turismo da natureza" numa zona que alia o lazer em torno das praias fluviais da albufeira do Azibo e a conservação e turismo da natureza.


A nova proposta convida a um percurso pedestre com mais de dois quilómetros e meio, ao longo do qual é possível observar 43 espécies de borboletas diurnas das 135 espécies que se conhecem em Portugal continental, de acordo com informação divulgada pela autarquia.


Além de "uma vista privilegiada sobre a Serra de Bornes e a Serra do Cubo, com as abundantes manchas de sobreiros e carvalhos, o trabalho de preservação do percurso pedestre e da biodiversidade existente nesta área possibilita a existência de um número significativo de borboletas diurnas, libelinhas e libélulas, cuja amostragem foi feita ao longo de um ano no âmbito do programa Macedo Natura, financiado ao abrigo do ON2 - O Novo Norte", esclareceu.


A estação de Biodiversidade de Santa Combinha está localizada "numa área de elevada riqueza biológica e paisagística, tem como ponto de partida e chegada o Miradouro de Santa Combinha e integra um conjunto de painéis informativos de modo a facilitar a interpretação dos valores naturais existentes".


Os responsáveis locais asseguram que o grau de dificuldade deste passeio é "muito fácil" e tem a duração aproximada de uma hora.


A zona do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, é um dos locais mais procurados pelos veraneantes, no distrito de Bragança, com duas praias fluviais com Bandeira Azul e uma das quais foi eleita para as Sete Maravilhas das zonas balneares de Portugal.


O local está também classificado como praia acessível a pessoas com deficiência e proporciona várias atividades ao ar livre, nomeadamente a observação de fauna e flora.

Cães terapeutas ajudam vítimas do atentado de Boston

18/04

2013

às 21:19

 
Três cães de raça Golden Retriever foram transportados de Chicago para Boston para reconfortar as vítimas do atentado ocorrido no final da maratona de segunda-feira e do qual resultaram três mortos e mais de 170 feridos, segundo o jornal Today.


Os animais pertencem à Igreja Luterana e foram especialmente treinados para dar conforto a  quem viveu situações traumatizantes. Estes três cães juntaram-se aos dois que desde dezembro apoiavam os pais e alunos da escola de Sandy Hooks, em Newtown, onde ocorreu um massacre.


“As pessoas falam com os cães. É como se fossem conselheiros peludos”, explicou ao mesmo jornal Tim Hetzner. “É uma forma de darmos algum alívio às pessoas que estão traumatizadas por caus das explosões”.


Os animais deverão permanecer em Boston pelo menos até domingo na Primeira Igreja Luterana, embora os responsáveis pretendam levá-los também aos hospitais onde os feridos ainda estão internados.


Os cães terapeutas estão especialmente treinados para lidar com situações de stress intenso. Cada um dos animais é submetido a um treino que dura entre oito meses a um ano, a partir dos seis meses de idade.


Cada um dos cães tem a sua própria página no Facebook e no Twitter, o que permite a todos ir acompanhando as suas atividades.


Este programa começou em 2008 na sequência do tiroteio na Universidade do Illinois, do qual resultou cinco mortos.

0 comentários

Novo canil de Oeiras inaugurado amanhã

11/04

2013

às 19:59

A Câmara de Oeiras vai inaugura amanhã o novo canil municipal, em Porto Salvo, um equipamento que gerou contestação por parte dos moradores pela proximidade às habitações, mas que a autarquia se compromete a controlar.


Localizado no Bairro dos Navegantes, o equipamento foi contestado em outubro por moradores que exigiam o cancelamento da obra num abaixo-assinado que recolheu 600 assinaturas.


O ruído e o mau cheiro foram os principais problemas apontados pelos habitantes, que contestaram a decisão da câmara de instalar o equipamento num bairro social onde as condições de vida já são difíceis.


Contactada pela Lusa, a vereadora das Obras Municipais da Câmara de Oeiras, Madalena Castro, assegurou que depois de várias reuniões com os moradores e o presidente da junta de freguesia "as coisas estão mais calmas".


"Comprometemo-nos com os residentes a fazer a monitorização e, se houver problemas, cá estaremos para encontrar alternativas, porque claro que não queremos prejudicar o sossego de ninguém", disse a vereadora.


O Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Oeiras (CROAMA), segundo a autarquia, vai proporcionar condições de alojamento de "qualidade e bem-estar animal aos canídeos e felídeos que se encontram sob responsabilidade do município", num investimento municipal de 420 mil euros.


O anterior equipamento tinha também já motivado várias manifestações pela sua falta de condições.


Construído num lote com uma área de 1.374 metros quadrados, este equipamento inclui uma zona de canil e gatil, um edifício de Serviço Veterinário Municipal e Saúde Pública, um edifício de apoio e armazéns.


Além disso, é composto por uma área técnica com zona de quarentena para canídeos com dez 'boxes' compostas por zona coberta e descoberta, quatro celas semicirculares e uma zona de quarentena para gatos composta por seis 'boxes'.

Tailândia vai enviar cria de pandas chineses para Chengdu

11/04

2013

às 15:03

Foto: AP/Arquivo
 
As autoridades tailandesas anunciaram que vão enviar para a China em maio o urso panda Lin Ping, após o animal celebrar o quarto aniversário e depois de não conseguirem prolongar a estada do animal no zoológico de Chiang Mai.


Lin Ping, o primeiro panda nascido na Tailândia, será transportado de avião de Chiang Mai para Chengdu, capital da província de Sichuan, no sudeste do país, após o seu aniversário a 27 de maio, revela o diário Bangkok POst.


Prasertsak Buntrakulpuntawi, diretor do zoológico de Chiang Mai, explicou que o panda Lin Ping passa agora mais tempo no seu iglu para que se adapte às baixas temperaturas de Chengdu.


Nascida por inseminação artificial, Lin Ping converteu-se num fenómeno de popularidade na Tailândia onde tem um programa de televisão durante as 24 horas do dia, embora passe a maior parte do tempo a dormir.


O urso panda foi concebido por Chuang Chuang e Lin ***, os dois pandas cedidos por Pequim à Tailândia em outubro de 2003 e por um período de 10 anos contra o pagamento de 250.000 dólares (190.000 euros) e prevê-se que o zoológico tailandês entre em negociações com as autoridades chinesas para prolongar a estada.


No objetivo de incentivar a procriação dos pandas, os tratados do zoológico de Chiang Mai chegaram a projetar filmes pornográficos ao casal, mas decidiram mais tarde optar pela inseminação artificial.


No caso das crias dos pandas, a China autoriza que permaneçam no local até aos dois anos, mas acabou por aceitar prolongar o tempo no caso de Lin Ping.


Desde a chegada do casal de pandas a Chiang Mai, o zoológico já arrecadou mais de 200 milhões de bath (5,2 milhões de euros) com a venda de bilhetes de acesso ao espaço ocupado pelos pandas chineses.


Se há umas décadas existiam apenas um milhar de pandas em todo o planeta, o último censo chinês àqueles animais em liberdade contabilizada 1.596, embora possam existir mais alguns exemplares na atualidade dado que a contagem foi feita em 2004.


Aos pandas em liberdade juntam-se outros 328 que estão em cativeiro em todo o planeta.

0 comentários

SOS por um punhado de cães de busca e salvamento

10/03

2013

às 14:35

O centro de reabilitação de cães de busca e salvamento em Vila Fria, Viana dos Castelo, que já enviou equipas cinotécnicas para catástrofes no Haiti, Turquia, Filipinas, Brasil, Chile ou Indonésia, pediu hoje apoios para garantir salvamentos futuros.


Koi, um golden retrivier cruzado com flat-coated retrivier, com quatro anos de idade, é um dos cães de busca e salvamento treinado em Vila Fria.


Ele e o seu treinador, Nuno Vieira, partiram para a Turquia, em 2011 - altura em que um terramoto de 7,2 na escala Richter atingiu aquele país, matando centenas de pessoas e ferindo milhares - e ajudaram a identificar uma idosa que, posteriormente, foi salva dos escombros.


Um outro caso feliz foi o salvamento de uma criança no Haiti, em 2010, pela equipa cinotécnica composta por Marco Saraiva e pelo boxer Eicko, recorda, à agência Lusa, Luca Conde, também treinador no centro de reabilitação de cães de busca e salvamento em Vila Fria.


A ida de uma equipa cinotécnica para uma zona de catástrofe no estrangeiro custa sempre, "no mínimo 1.500 euros", disse Luca Conde, treinador de cães para salvamento.


Uma deslocação ao Haiti, contudo, pode custar cerca de quatro mil euros. Dessa despesa, o centro de reabilitação de cães de busca e salvamento em Vila Fria tem de suportar os custos do vestuário, calçado e alimentação, sendo a viagem, na maior parte das vezes patrocinada por uma universidade catalã, acrescentou.


Falta de dinheiro para alimentação, vestuário, calçado, equipamento para os cães e formação são algumas das necessidades do centro de reabilitação de cães de busca e salvamento em Vila Fria e dos seus treinadores.


"Sem dúvida os nossos principais problemas são os custos de formações, custos com materiais de trabalho, custos de vestuário e calçado e os custos de uma missão fora do país", disse à Lusa Luca Conde, pedindo ao Governo, empresas e sociedade civil para lhes dar apoio logístico, a fim de poderem manter as operações de salvamento.


"Não estamos a pedir dinheiro, queremos só realmente [apoio] para logística", acrescentou Luca Conde, explicando que a filosofia daquele centro é o treino dos canídeos pelo "reforço positivo" e o "respeito pelo cão".


A escola de treino de cães para busca e salvamento de Vila Fria faz parte da Associação de Resgate do Norte K9 e integra a Organização Não Governamental (ONG) k9 de Creixell (Barcelona/Espanha). Atualmente, recebe apoios da Universidade Rovira y Virgile da Catalinha (Catalunha/Espanha) para pagar as viagens das equipas cinotécnicas às zonas de catástrofe.


Os cães treinados em Vila Fria - que já foram à Turquia, Haiti, Filipinas, Indonésia, ou Brasil - só procuram pessoas vivas desaparecidas em catástrofes, mas no grupo da OGN K9 (K9 significa 'canine' em inglês ou seja canino), há também cães de cadáver, ou seja, cães que procuram pessoas mortas.


Num contexto de catástrofe, os cães procuram primeiro pessoas vivas durante cerca de sete dias, em locais devidamente identificados, e só depois é que avança para o terreno o cão de cadáver.


Os treinos para os cães reconhecerem o cheiro de pessoas, droga, telemóveis ou de um simples Compac Disc é sempre feito através de "um reforço positivo", porque o "cão procura por brincadeira", explica Luca Conde, referindo que os treinos são um trabalho, mas para os cães são "um jogo" e não "uma obrigação".


O que aqueles cães estão preparados para procurar são pessoas a "metros e metros de profundidade" e que nem se ouvem se gritarem. O faro apurado dos animais permite detetar vida humana, muitas vezes auxiliados por canais de vento, que trazem o odor de humano com vida à superfície, explicou Luca Conde.

0 comentários

publicidade

Arquivo de artigos

Fale com o autora

envie os seus conteúdos para: fmariano@jn.pt

blogues associados

publicidade

Global Notícias SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.