Resultados por tag: aranha

Por que têm as aranhas tantas patas?

17/05

2012

às 15:45

 

Os cientistas consideram que as aranhas têm mais patas do que aquelas que verdadeiramente precisam, mas que isso poderá ser uma vantagem na hora de fugir dos predadores.



Depois de recolherem milhares de fêmeas de aranhas selvagens, os investigadores verificaram que 10% tinha menos uma pata do que as oito habituais.



“Perguntámo-nos se isso de alguma forma as prejudicava”, referiu, ao jornal espanhol ABC, Alain Pasquet, na Universidade de Nantes, em França, um dos co-autores do estudo.



A equipa de investigadores colocou 123 aranhas da espécie Zygiella x-notatas em caixas de plástico individuais, onde pudessem construir teias. Verificaram que 60 tinham as oito patas, e que as restantes tinham menos uma ou mais patas.



Pasquet e os seus colegas descobriram que as teias construídas pelas aranhas a quem faltavam patas não eram muito diferentes das restantes.



Posteriormente, os investigadores colocaram moscas dentro das mesmas caixas e constataram que as aranhas que tinham menos patas conseguiam caçá-las e comê-las sem qualquer dificuldade.



“Estávamos realmente surpreendidos, já que esperávamos que a falta de uma pata iria prejudicar a capacidade das aranhas em encontrar comida, mas não é assim”, sublinhou Alain Pasquet.



Baseando-se nos dados obtidos, os autores sugerem que as aranhas têm patas que na realidade não precisam, mas que é vantajoso no caso de um predador lhes arrancar uma das patas, por exemplo.



Mesmo assim, parece haver um limite ao número de patas que uma aranha pode perder. Os investigadores encontraram poucas aranhas no seu habitat natural às quais faltassem mais do que duas patas. Em laboratório, as aranhas com apenas cinco patas construíam teias de muito má qualidade.

Tags: ,
0 comentários

Aranha macho corta pénis durante o coito para evitar ser comida pela fêmea

02/02

2012

às 16:01

Uma equipa de investigadores chineses e eslovenos descobriu que os machos de uma espécie de aranha, a Nephilengys malabarensi, cortam o seu próprio pénis durante o acto sexual.



O objectivo, de acordo com os cientistas, é, por um lado, evitar serem devorados pelas fêmeas e, por outro, garantir que continue a haver transferência de espermatozóides depois de se separarem. Devido à auto-castração, a aranha macho viveu o resto da vida como um eunuco, mas, pelo menos, aumentam a suas possibilidades de terem descendentes.



O estudo - liderado Diaquin Li, da Universidade de Singapura - foi publicado na revista “Biology Letters”. Os autores referem que, até ao momento, nunca tinha sido identificada uma espécie animal em que o macho ficasse estéril durante a cópula. Embora, saliente o jornal espanhol El Mundo, a ruptura do palpo (o equivalente ao pénis nas aranhas macho) seja frequente nos aracnídeos.



Para realizar esta investigação, os cientistas juntaram 25 casais de aranhas e deixaram-nos acasalar. Verificaram, então, que a ponta do palpo ficava dentro da fêmea. Em 12% dos casos apenas parcialmente; nos restante, o palpo foi amputado por completo.



Ao abrirem o abdómen das fêmeas, os investigadores verificaram que a transferência de sémem continuava, mesmo depois de o macho se ter afastado. Quanto mais tempo o palpo ficar dentro da fêmea, mais esperma é transferido para a fêmea, acrescenta o diário espanhol ABC.



Esta auto-castração surge como uma estratégia dos machos para evitar serem devorados pela parceira. “”As fêmeas são muito agressivas e, em 75% dos casos, elas matam o companheiro durante o acto sexual”, explica Diaquin Li.



Existe uma outra vantagem, segundo estes cientistas. Como o palpo fica dentro da fêmea, funciona como um tampão e impede que outros machos possam fecundá-la, aumentando assim as suas hipóteses de terem descendência.

Aranhas lobo macho copulam com as fêmeas virgens e comem as mais velhas

12/04

2011

às 15:43

 

Os machos das aranhas lobo (Allocosa brasiliensis) comem as fêmeas mais velha, o que é algo inédito na família das aranhas, segundo um estudo desenvolvido no Uruguai. De acordo com a BBC, na maioria das espécies, são as fêmeas que comem os machos, sendo esta a primeira vez que os cientistas observam a inversão de papéis no mundo selvagem.



Os machos foram vistos a copular com as fêmeas virgens e a comer as mais velhas, que são menos bem sucedidas em termos reprodutivos. Os investigadores sugerem que os habitats rigorosos levam a que os machos devorem as fêmeas. Os resultados deste estudo foram publicados no Biological Journal of the Linean Society. A espécie estudada foi a aranha lobo noctura, que se encontra nas dunas de areia nas margens dos rio da América do Sul e ao longo da costa do Oceano Atlântico. A escolha desta espécie deve-se ao facto de o seu status ser um indicador do estado dos habitats costeiros.



Depois de observaram no terreno o comportamento das aranhas macho, Anita Aisenberg e a sua equipa do Clemente Estable Institute of Biological Research, em Montevideu, tentaram encontrar uma explicação. “Em geral, as aranhas fêmeas são maiores do que os machos e são muito selectivas em termos sexuais. Os machos são como que pequenos robôs que saem à procura de uma parceira para acasalar”, sublinhou Anita Aisenberg. No caso das Allocosa brasiliensis, os investigadores descobriram que são os machos quem dominam.



Embora o canibalismo sexual esteja amplamente documentado no caso das aranhas, os cientistas ficaram surpreendidos quando verificaram que no caso das Allocosa brasiliensis são os machos que devoram as fêmeas. “Isto é extremamente raro no reino animal”, acrescentou a mesma responsável.



O canibalismo sexual é muito comum entre as aranhas e os escorpiões. As viúvas negras são assim chamadas porque algumas fêmeas têm tendência para comer os machos após a cópula. As fêmeas de louva-a-Deus também já foram observadas a arrancar a cabeça do parceiro durante o acto sexual.

Tags: ,
0 comentários

Aranhas castradas são melhores lutadoras

01/04

2011

às 10:30

 

Embora as aranhas castradas já não possam ser boas amantes, elas são melhores lutadoras, diz um novo estudo citado pela National Geographic. Em muitas espécies de aranhas, os machos copulam usando dois apêndices designados pedipalpos. E, muitas vezes, durante o acto sexual, acabam por perder um ou os dois pedipalpos – o que em termos de evolução não é muito positivo, uma vez que os torna estéreis. Contudo, um grupo de cientistas coloca a hipótese de esta amputação genital tem como função criar um tampão nas fêmeas por forma a evitar que outros machos as fecundem.



Para perceber melhor por que é que os machos se tornam eunucos, os cientistas observaram o ritual de acasalamento das aranhas asiáticas (Nephilengys malabarensis). Verificaram que em 75% dos casos, o órgão genital amputado efectivamente funcionava como também nas fêmeas e que estes machos castrados eram muito mais agressivos e activos na defesa das fêmeas.



Durante os combates entre machos, os que eram castrados eram melhores lutadores do que aqueles que tinham perdido apenas um dos pedipalpos ou dos que eram inteiros, adianta o mesmo estudo. Em geral, os eunucos mostraram três vezes mais probabilidades de atacar, de perseguir e de derrotar os rivais.



“Pensamos, embora não tenhamos certeza, de que esta mudança de comportamento se possa dever a alterações dos níveis hormonais, provocadas pela perda dos depipalpos”, diz Matjaz Kuntner, co-autora do estudo e especialista em aracnídeos da Academina Eslovena de Artes e Ciências, em Ljubljana. “Mas a razão fundamental deste comportamento é que os eunucos, por não terem futuro reprodutivo, não têm nada a perder e arriscam mais nas competições”.



A mesma especialista acrescentou que, durante as observações, verificaram que é frequente as fêmeas devorarem os machos após o acto sexual. Talvez por isso, os machos, aos auto-mutilarem, queiram garantir que o seu esperma ainda tem alguma hipótese de fecundar a fêmea, apesar deles serem vítimas de canibalismo.

Tags: ,
0 comentários

Veneno de aranha, que provoca erecções de quatro horas, pode ser o novo Viagra

07/03

2011

às 18:48

 

A maioria das pessoas, quando descobre uma aranha no quarto, tenta livrar-se dela o mais rápido possível. Mas um novo estudo científico conclui que, se calhar, o melhor mesmo é ter sempre uma aranha à cabeceira da cama. De acordo com Mail Online, a picada de uma aranha armadeira brasileira (Phoneutria nigriventer) tem efeitos secundários no ser humano, entre os quais uma erecção que pode durar até quatro horas.



Estas criaturas de oito patas são oriundas da América do Sul e Central. Investigadores da Universidade de Medicina de Georgia, nos Estados Unidos, acreditam que esta espécie pode ser a solução para problemas de disfunção eréctil. Segundo a fisiologista Kenia Nunes, o veneno destas aranhas é composto por uma mistura de várias moléculas. “Estas moléculas são chamadas toxinas, e neste veneno temos uma grande variedade de toxinas com diferentes actividades”, explicou ao Mail Online.



“Por causa disso, quando um ser humano é mordido por uma destas aranhas, podemos observar diferentes reacções, desde priapismo, um estado em que o pénis está constantemente em erecção”, acrescentou. Outro dos efeitos, para lá das longas e dolorosas erecções, são a perda do controlo muscular, dores fortes, dificuldade em respirar e, se a vítima não for tratada rapidamente com um anti-veneno, pode provocar a morte, devido à privação de oxigénio. Mas os seus efeitos incomuns podem servir para tratar a disfunção sexual, quer nos homens, quer nas mulheres, reforçou Kenia Nunes.



No estudo que desenvolveu, publicado no Journal of Sexual Medicine, Kenia Nunes administrou o peptídeo PnTx2-6 a ratos hipertensos e com disfunção sexual. “A toxina conseguiu normalizar este problema nos ratos”, adiantou. Esta toxina das aranhas funciona como uma espécie de Viagra. “Está é uma boa notícia, pois sabemos que há muitos pacientes que não respondem às terapias convencionais. Este pode ser um tratamento alternativo”, referiu.



A aranha armadeira brasileira já foi encontrada em supermercados americanos e canadianos, mas normalmente está presente nas plantações tropicais de bananeiras. Segundo o especialista em aracnídeos do Museu Burke da Universidade de Washington, Rod Crawford, apenas 10 em cerca de sete mil pessoas morreram, devido à picada desta aranha.

Aranha com rosto humano fotografada em Inglaterra

23/02

2011

às 16:53

  Fotos: bnps.co.uk

Uma espécie rara de aranha, cujo corpo apresenta os traços de um rosto humano, foi fotografada numa reserva natural em Wareham, Dorset, Grã-Bretanha. Segundo a edição inglesa do jornal Metro, desde 1890 que apenas tinham sido avistados 41 exemplares da Philodromus margaritatus, o que não é de estranhar, uma vez que se confunde com os líquens das árvores. “Esta foi a primeira encontrada aqui nos últimos 35 anos”, referiu Mark Singleton, funcionário da reserva natural. “Isto é uma autêntica raridade. Encontrá-mo-la na caixa de electricidade, a poucos metros do nosso centro de trabalho e ficámos bastante excitados quando percebemos o que era”, contou.



Apesar do corpo peludo e do seu aspecto assustador, esta espécie de aranha é inofensiva para o ser humana, adianta o Mail Online. É do tamanho de uma moeda de 20 pences e alimenta-se de pequenos insectos, como formigas, que caçam com elevada rapidez. Esta aranha (que não existe em Portugal) encontra-se sobretudo na Europa Central e Ocidental.

Tags: ,
0 comentários

publicidade

Arquivo de artigos

Fale com o autora

envie os seus conteúdos para: fmariano@jn.pt

blogues associados

publicidade

Global Notícias SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.