Resultados por tag: cavalo

Carne de cavalo em hambúrgueres desencadeia protestos no Reino Unido e Irlanda

16/01

2013

às 18:42

Adelino Meireles/arquivo
 

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, mostrou-se hoje preocupado com a descoberta "extremamente perturbadora" de carne de cavalo em hambúrgueres, que deveriam ser 100 por cento de carne de vaca, vendidos em supermercados no Reino Unido.  


A Autoridade de Segurança Alimentar da Irlanda (FSAI, na sigla em inglês) anunciou na terça-feira que até 29 por cento da carne de alguns hambúrgueres era de cavalo. Os investigadores também encontraram ADN de porco.


Os hambúrgueres congelados estavam à venda nas cadeias de supermercados Tesco e Iceland, na Grã-Bretanha e na Irlanda, e nas sucursais irlandesas do Lidl, Aldi e Dunnes. O Tesco é a maior cadeia de retalho britânica.


A FSAI disse que os hambúrgueres foram feitos em duas fábricas na Irlanda e uma no norte de Inglaterra. De acordo com o ministro da Agricultura e Alimentação irlandês, Simon Coveney, a origem do problema parecia estar em produtos importados da Holanda e de Espanha.


Apesar de a carne de cavalo ser comum na Ásia Central, China, América Latina e algumas zonas da Europa, é considerada proibida para a maior parte dos consumidores britânicos e irlandeses.


Dos 27 produtos testados pela FSAI, dez continham ADN de cavalo e 23 de porco. E em nove daqueles dez, a carne de cavalo era menos de 0,3 por cento do conteúdo total.


No Parlamento, Cameron afirmou ter pedido à Agência de Controlo Alimentar para realizar uma investigação urgente. A agência esclareceu "não existir qualquer risco para a saúde pública, mas isto é completamente inaceitável".


Os supermercados Tesco e Iceland já anunciaram que vão suspender a venda dos produtos em causa

0 comentários

Cavalo e touro são protagonistas de feira em Badajoz

19/05

2012

às 13:38

 

Os mundos do cavalo e do touro vão ser os protagonistas do certame ECUEXTRE 2012, na cidade espanhola de Badajoz, em junho, que se assume como "a maior montra" daqueles dois setores "no sudoeste ibérico".



A ECUEXTRE 2012 - Feira do Cavalo e Feira do Touro é promovida pela Institución Ferial de Badajoz (IFEBA) e decorre naquela cidade espanhola, junto à fronteira com Portugal, de 21 a 24 de junho.



O evento, que a organização diz ter "forte vocação hispano-portuguesa", quer estimular negócios relacionados com os setores do cavalo e do touro e inclui ainda um variado programa de animação.



O certame, realçou hoje a organização, "promove ainda a atividade pecuária de cavalos de raças puras e pecuária brava" na região espanhola da Estremadura e em Portugal, assim como "o movimento" em torno da "criação do touro bravo e o mundo do cavalo e do desporto".



A IFEBA, que aguarda a presença de "milhares de visitantes de Espanha e Portugal", garantiu também que a feira "se está a consolidar como a maior montra dos setores do cavalo e do touro no sudoeste ibérico".



A IV Feira do Touro é uma das vertentes da ECUEXTRE e, nesta edição, homenageia o cavaleiro espanhol Pablo Hermoso de Mendoza, com uma exposição monográfica daquele que é considerado "uma autêntica lenda do toureio a cavalo".



A mostra acompanha a evolução dos 20 anos de percurso profissional do cavaleiro, através de lembranças, troféus, fotografias, cabeças de touros, apetrechos dos seus cavalos, equipamentos, documentos audiovisuais e objetos.



Os visitantes podem ainda participar ou assistir a outras atividades ligadas ao mundo do touro: sessões de autógrafos, tertúlias tauromáquicas, homenagem ao matador Juan Antonio Ruiz "Espartaco", atuações de grupos de forcados portugueses e de toureio a cavalo ou conferências.



"A Estremadura, atualmente, é a região espanhola que lidera a lista de matadores de touros" e este evento é "a montra perfeita" para "a festa da tauromaquia", referiu a IFEBA.



Quanto à Feira do Cavalo, o campeonato de Espanha de horse-ball, o campeonato da Estremadura de campeões de pura raça espanhola, concursos, exibição de ganadarias, garanhões e éguas, ou exibição de engates e carruagens são algumas das atrações.



O certame reúne, anualmente, "à volta de 150 a 200 cavalos de raças puras e de desporto", afirmou a organização, acrescentando que vão estar presentes puros sangue lusitanos, árabes e espanhóis, entre outros.


Concursos, exposição de acessórios e vestuário relacionados com o mundo equestre, venda de publicações e múltiplas atividades hípicas completam o programa.


Nas quatro jornadas da ECUEXTRE, as noites também prometem animação aos visitantes, que podem assistir a espetáculos equestres e musicais, assim como saborear a gastronomia dos estabelecimentos de restauração instalados no recinto.

0 comentários

Churchill salvou milhares de cavalos da morte no final da 1ª Guerra

02/01

2012

às 11:00

  Foto: PA/Arquivo

No final da primeira guerra mundial, Winston Churchill envolveu-se pessoalmente no regresso de milhares de cavalos utilizados durante o conflito e que estavam espalhados por toda a Europa.



Documentos históricos recentemente descobertos pelo jornal britânico The Mail on Sunday revelam milhares desses cavalos que serviram o exército inglês deveram a sua vida à compaixão do então secretário de Estado da Guerra.



As chefias militares britânicas dependeram bastante da cavalaria para transportar homens, artilharia e alimentos, tendo gasto mais de 36 milhões de libras (43,1 milhões de euros) durante o conflito para comprar 1,1 milhões de cavalos no Reino Unido, Canadá e Estados Unidos.



Documentos do Ministério da Guerra, encontrados no Arquivo Nacional em Kew, revelam que dezenas de milhares de animais estavam em risco de contrair doenças ou de morrerem à fome ou às mãos de açougueiros franceses e belgas, porque as entidades oficiais não conseguiam levá-los de volta para a Grã-Bretanha.



Churchill, na altura com 44 anos, reagiu com fúria quando teve conhecimento do tipo de tratamento que estava a ser dado aos cavalos e encarregou-se pessoalmente do assunto depois do fim das hostilidades.



Enviou um ofício para a sua própria secretaria de Estado da Guerra e para o Ministério dos Transportes. Foram enviados mais vasos de guerra e em apenas uma semana foram repatriados 21 mil cavalos.



Terry Charman, historiador do Imperial War Museum, explicou ao mesmo jornal que Winston Churchill era um amante de animais e que as suas diligências se deveram exclusivamente às suas preocupações com o bem-estar animal.

Tags: ,
0 comentários

Cavalos garranos fechados por população de Labruja numa antiga escola

20/11

2011

às 21:01

 

O recreio da antiga escola primária de Labruja, em Ponte de Lima, está a ser utilizado para conter quatro cavalos garranos, alegadamente abandonados na freguesia, e que estavam a destruir as produções agrícolas.



"Já comunicámos o caso à GNR e estamos a aguardar que as autoridades tomem medidas, que identifiquem os proprietários. Não pode ser só ir buscar os subsídios e depois abandoná-los por aí", afirmou, hoje, à Agência Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Labruja.



Segundo Manuel Amorim, estes quatro cavalos terão sido abandonados na freguesia "há cerca de três semanas".



Depois de destruírem várias culturas, enquanto procuravam alimento, um grupo de populares acabou por levá-los, no sábado, para o recreio da escola primária, encerrada em 2006.



"É um local fechado e enquanto as autoridades não decidem o que fazer, ficam ali, mas têm alimento. Este não é caso único, nos últimos meses temos visto outras situações do género, de animais que são deixados à sorte, depois de os produtores receberem os subsídios", alerta o autarca.



Só este ano a GNR recebeu, em todo o distrito de Viana do Castelo, 15 queixas por danos provocados por garranos.



Queixas até 31 de Agosto e referentes aos concelhos de Melgaço (02), Vila Nova de Cerveira (01), Arcos de Valdevez (01), Viana do Castelo (06) e Ponte de Lima (05), segundo números do comando distrital da GNR.



Neste último concelho, uma das queixas diz respeito a um acidente de viação, com danos na viatura provocados pelos cavalos. Ainda em Ponte de Lima, um outro acidente, em Setembro, provocou danos noutra viatura.



A GNR admite que "no âmbito do inquérito", por vezes, "é possível identificar o proprietário do animal", cabendo depois aos tribunais imputar responsabilidades aos prejuízos causados.



"Contudo, embora os animais estejam identificados, ao pastarem todos juntos torna-se muito complicado identificar qual foi o que realmente provocou o dano, pois pode ter sido qualquer um", diz a mesma fonte.



A isto, acrescenta-se o facto de muitos dos garranos, normalmente criados em regime de semi-liberdade, não possuírem sequer qualquer identificação.



Em Portugal há cerca de 600 criadores de garranos registados, mas apenas 350 possuem animais, num registo nacional que ronda as 2.000 cabeças, sendo o distrito de Viana do Castelo um dos de maior expansão.

0 comentários

Cavalos de Joana Andrade morreram intoxicados por antibiótico

16/11

2011

às 21:30

 

A morte de cinco cavalos pertencentes à quadra da cavaleira tauromáquica Joana Andrade foi, alegadamente, causada por uma intoxicação através de um antibiótico, denominado "Narazina", integrado na ração que os animais ingeriram, avançou hoje a toureira.



"As necrópsias realizadas pelo Instituto Nacional de Medicina Veterinária, em Lisboa, revelaram que os cavalos foram intoxicados por um antibiótico denominado Narazina", afirmou a toureira, em declarações à agência Lusa.



De acordo com Joana Andrade, este antibiótico "é utilizado nas rações para a produção de frangos de engorda".



"Agora, estamos a aguardar os resultados das análises feitas pela fábrica de rações, mas já colocámos uma acção em tribunal contra a fábrica e contra a empresa que as comercializou a pedir uma indemnização pela morte dos cavalos", revelou.



Joana Andrade relatou ainda que possui "nove cavalos" doentes e que a época tauromáquica de 2012, que tem início, tradicionalmente, no dia 1 de Fevereiro, está "comprometida".



A morte dos cinco cavalos ocorreu durante o mês de Outubro, na quinta onde a toureira está sedeada, no concelho de Redondo, distrito de Évora.



Joana Andrade disse, na altura, à Lusa que a situação que estava a viver não era um caso isolado no seio dos produtores desta raça, uma vez que, no dia 24 de Outubro, morreu em Almeirim (Santarém) um outro cavalo pertencente ao seu colega de profissão Jorge de Almeida, com "os mesmos sintomas".



A toureira indicou ainda que uma outra montada, pertencente a um cavaleiro que pratica a modalidade de Equitação do Trabalho e Dressage, residente na Golegã (Santarém), também morreu, apresentando os mesmos sintomas.



"A ração que todos estes cavalos afectados comeram é do mesmo tipo, da mesma fábrica e do mesmo lote", disse, na altura.

0 comentários

Timorenses querem desenvolver o desporto equino

30/10

2011

às 18:57

 

Por Isabel Marisa Serafim, agência Lusa


O hipódromo de Batugadé, vila de Timor-Leste próxima da fronteira com Timor Ocidental, foi inaugurado este fim-de-semana em mais um passo de promoção do hipismo naquele país.



Promovido pela Associação de Criadores e Proprietários de Cavalos de Corrida Timorense (ACPCC-TL), o novo hipódromo é um projecto que teve início em 2009 mas só agora concretizado, depois de o governo ter apoiado financeiramente aquela estrutura e a população de Batugadé ter cedido gratuitamente o terreno.



O "hipódromo é o primeiro passo no sentido de desenvolver o desporto equino aqui em Timor-Leste", afirmou Fernando Encarnação, presidente da ACPCC-TL, salientando que as corridas de cavalo são "tradicionalmente muito famosas e importante em Timor-Leste".



Segundo o presidente da ACPCC-TL, o hipódromo foi uma iniciativa da associação com o objectivo de "criar uma indústria".



Questionado pela agência Lusa se Batugadé poderá ser a Ascot, famoso local onde decorrem as corridas de cavalos inglesas, de Timor-Leste, Fernando Encarnação respondeu: "Batugadé é a Ascot timorense".



Para desenvolver o desporto equino no país, o hipódromo de Batugadé vai ter ainda acomodações para visitantes, estábulos e bancadas de cimento.



Está também prevista a criação de uma escola para formar jóqueis desde crianças, com ensino oficial paralelo.



O cavalo timorense é uma raça equina especial, chamada Timor, e é conhecida pela "sua resistência" e não tanto pela sua velocidade, explicou Fernando Encarnação.



Fernando Encarnação disse também que a associação pretende manter as corridas tradicionais, limitadas aos 13 distritos de Timor-Leste.



Nas corridas tradicionais timorenses, os jóqueis correm sem cela e utilizam apenas uma corda para uma corda para agarrar o cavalo.



"Por questões de segurança dos jóqueis é exigido um capacete de protecção", explicou, sublinhando que as corridas tradicionais vão continuar sem manta e sem cela.

0 comentários

Égua cega tem como guias cinco cabras e cinco ovelhas

23/05

2011

às 12:13

 

Foto: Michelle Feldstein/Deer Haven/Reuters

Michelle Feldstein preparava-se para arranjar um alojamento especial para a égua cega que recentemente se juntou aos inúmeros patos que não voam, gatos sem garras e lamas que vivem no centro de abrigo animal em Montana, nos Estados Unidos. Mas não a poderia preparar para a comitiva que acompanhou Sissy, uma égua cega de 15 anos.



“Sissy veio com cinco cabras e cinco ovelhas, que tomam conta dela”, disse, ao Edmonton Sun, Michelle Feldstein, o rosto por detrás do Deer Haven Ranch, um centro privado de resgate de animais que ela gere com o marido, Al, numa área de 300 acres no Parque Nacional de Yellowstone.



As cabras e as ovelhas nunca estão longe da égua branca e nunca a perdem de vista. Elas conduzem Sissy até ao local onde pode comer e beber e guiam-na até ao estábulo, quer chova ou neve. “Elas rodeiam-na na hora de comer e levam-na até junto do feno”, conta Michelle, de 66 anos, uma antiga administradora hospitalar e piloto de corridas de automóvel. “Mostram-lhe onde está a água e põe-se junto ao cercado para que Sissy saiba que este está ali”.

0 comentários

Cavalo recupera mobilidade graças a pata artificial

24/03

2011

às 15:06

 

Um cavalo em miniatura que nasceu sem parte de uma das patas traseiras pode agora correr à vontade pelos campos graças a uma prótese fabricada especialmente para ele. Segundo o Telegraph, quando Midnite chegou ao santuário de animais de quinta Ranch Hand Rescue, no norte do estado americano do Texas, os responsáveis recearam que a única saída seria o seu abate. A polícia tinha resgatado Midnite das mãos de um dono neglicente, antes de o encaminhar para aquele centro de recuperação.



Contudo, o director do centro, Bob Williams, encontrou uma outra solução quando assistia a um programa televisivo. “Uma noite estávamos a ver televisão e aconteceu... estavámos a ver alguém a fabricar próteses para seres humanos e pensámos: se pode ser feito para os homens, por que não também para os cavalos?”, contou.



No dia seguinte, Bob Williams dirigiu-se a uma empresa local especializada no fabrico de membros artificiais para os seres humanos e lançou-lhes o desafio. Eles aceitaram. Todos os que estiveram envolvidos no projecto esperavam, desta forma, conseguir salvar a vida de Midnite. Na segunda vez que lhe colocaram a próteses, Midnite partiu a galope, sem qualquer dificuldade. Agora, tem uma vida praticamente normal.

Tags: ,
0 comentários

Presidente do Turquemenistão aprova concurso anual de beleza para cavalos sangue puro

08/02

2011

às 17:05

 

O presidente do Turquemenistão, Kurbanguly Berdymukhamedov, aprovou um decreto que determina a realização anual, em Abril, de um concurso de beleza para os cavalos sangue puro do país, segundo a BBC Online. Os melhores cavalos serão “escolhidos para promoverem a glória das divinas corridas de cavalo em todo o mundo”, lê-se no documento. O presidente desta antiga república soviética é conhecido pelos seus dotes de cavaleiro.



Os cavalos da antiga raça Akhal-Teke são frequentemente oferecidos a líderes estrangeiros e integram o bandeira nacional do Turquemenistão, segundo a agência de notícias Reuters. A raça distingue-se pela pêlo brilhante e patas e pescoço compridos, e famosa pela sua velocidade e resistência. O Turquemenistão é a única ex-república soviética onde é proibido comer carne de cavalo.

0 comentários

Secretariat

03/02

2011

às 20:18

                             Título: Secretariat - A incrível história do cavalo mais veloz de todos os tempos

Autor: William Nack

Editora: Guerra & Paz

PVP: € 19,50

 

 

Em 1973, com apenas três anos, um puro sangue inglês, de nome Secretariat, entra para os anais da história das corridas de cavalos por ter vencido a Triple Crown, o conjunto das três provas mais prestigiadas deste desporto, estabelecendo um novo recorde mundial: percorreu uma milha e meia em apenas 2 minutos e 24 segundos. Secretariat, que morreu aos 19 anos, é também o único animal a figurar na lista dos 50 Maiores Atletas do Século XX da ESPN (Entertainment and Sports Programming Network). A história de Secretariat é também a história de Penny Chenery, uma simples mãe e dona de casa que, num mundo dominado pelos homens, enfrenta tudo e todos para transformar Secretariat no maior cavalo de corridas de todos os tempos.



Escrito pelo jornalista americano William Nack, o livro arranca com a descrição do que se passou na noite em que Secretariat nasceu, num tom que auspicia bons momentos de leitura, para logo no segundo capítulo apresentar exaustivamente a história de várias das famílias que se dedicaram à criação de cavalos e de toda a linhagem de Secretariat desde meados do século XIX. Um relato extremamente desmotivador para quem não está por dentro dos meandros das corridas de cavalos e não está familiarizado com o vocabulário próprio deste desporto, defraudando as expectativas de quem esperava um relato fiel, mas apaixonado da vida de Secretariat.



O livro foi já adaptado ao cinema. “Secretariat”, realizado por Randall Wallace e protagonizado por Diane Lane, James Cromwell e John Malkovich, estreou hoje nas salas portuguesas.

0 comentários

Anatomista alemão vende cadáveres de animais na Internet

22/10

2010

às 21:30

Um anatomista alemão, que ficou mundialmente conhecido devido à sua exposição de corpos plastinados em cenas da vida real, está a vender partes de cadaveres humanos e de animais – algumas como peças de joalharia - na internet. Gunther Von Hagens, 65 anos, voltou, assim, a estar debaixo de fortes críticas.


Entre as peças que colocou à venda em www.plastination-products.com estão colares feitos a partir de cadáveres de cavalos, pulseiras feitas com a cauda de girafas e brincos fabricados com pénis de bois. Leia aqui toda a história.

Tags: , , ,
0 comentários

Cavalo morre à sede em Aveiro - rectificação

09/07

2010

às 17:20

Ao contrário da notícia veiculado pela edição de hoje do "Diário de Aveiro", a morte do cavalo que se encontrava num terreno junto ao Centro de Atendimento de Toxicodependentes, em São Bernardo, Aveiro, não se deveu à sede e à falta de cuidado, apurou o Jornal de Notícias, pelo que apresentamos desculpas aos leitores de "Os Bichos". Os animais (restam quatro) têm dono, estão registados e têm seguro e encontram-se em bom estado de saúde. Os terrenos onde se encontram a pastar são da Direcção-Geral do Património, mas estão a ser geridos pela Junta de Freguesia, que os cedeu ao criador de cavalos. O cavalo terá morrido por asfixia, uma vez que estava enrolado à corda que o prendia. A corta - que por lei tem que ter, no mínimo, 20 metros - tinha as dimensões legais.

Tags: ,
0 comentários

Cavalo morre à sede em Aveiro

09/07

2010

às 14:20

Um dos cinco cavalos que há duas semanas estavam abandonados em terrenos que circundam o ex-Centro de Saúde Mental, em São Bernardo, Aveiro, morreu ontem notícia o jornal "Diário de Aveiro". Os funcionários do CAT – Centro de Atendimento de Toxicodependentes – que ali funciona, suspeitavam que os animais estavam à mercê da sorte e não recebiam água nem alimentos. Ontem confirmaram as suspeitas da pior forma possível, quando encontraram morto um dos animais, por volta do meio-dia. Com o calor que fez, o cavalo morreu de sede”, sentencia um dos funcionários. Os funcionários da instituição estão revoltados e garantem que há muito tempo que vinham vinham alertando para a situação “ultrajante e cruel” em que vivem os cavalos, tanto à Junta de Freguesia de São Bernardo, quanto à outras entidades, como a Sociedade Protectora dos Animais, mas não obtiveram resultados.

Tags: ,
0 comentários

publicidade

Arquivo de artigos

Fale com o autora

envie os seus conteúdos para: fmariano@jn.pt

blogues associados

publicidade

Global Notícias SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.