Resultados por tag:

Descoberta nova espécie de rã... entre os arranhas-céu de Nova Iorque

16/03

2012

às 14:26

 Foto: Brian Curry/Rutgers University/AFP
 

Uma nova espécie de rã, que passou despercebida aos cientistas durante mais de um século, foi descoberta... no bairro nova-iorquino de Staten Island, noticiou a agência Efe.



"No meio de alguns dos arranha-céus mais altos do mundo, e com vista para a Estátua da Liberdade, cientistas encontraram uma nova espécie de rã", refere o portal da Universidade Rutgers, de Nova Jérsia, uma das instituições que participaram na descoberta do "achado".



O anfíbio, que se caracteriza pelos pontos pretos que cobrem o seu corpo, mas que ainda não foi batizado, passou despercebido aos cientistas durante mais de cem anos devido à sua semelhança com uma variedade muito comum de rã-leopardo.



Contudo, as provas de ADN a que a nova espécie foi submetida confirmaram que não era uma comum rã-leopardo.



Os cientistas creem que a nova espécie de rã é, muito provavelmente, o mesmo tipo de rã-leopardo que desapareceu, há várias décadas, de Long Island e de outras zonas.



Um dos investigadores, Jeremy Feinberg, da Universidade Rutgers, estava a estudar a rápida diminuição do número de rãs-leopardo, quando constatou que algumas delas coaxavam de maneira diferente, pelo que decidiu realizar provas genéticas.



Segundo Feinberg, "desde finais de 1800 que os cientistas especulavam sobre a raridade de algumas rãs", só que, "até à chegada da biologia molecular, era difícil provar alguma coisa".

Tags: ,
0 comentários

Vertebrado mais pequeno do mundo mede 7,7 milímetros

12/01

2012

às 18:55

 

Foto: Christopher Austin/Reuters

Uma rã cujo tamanho médio não ultrapassa os 7,7 milímetros, ou seja, menos de um centímetro, é o vertebrado mais pequeno do mundo.



A nova espécie, baptizada cientificamente como Paedophryne amauensis, foi encontrada na ilha da Nova Guiné por um grupo de investigadores da Universidade do Louisiana, nos Estados Unidos, liderado pelo biólogo Chris Austin, segundo o jornal espanhol El Mundo.



O Museu de Ciências Sociais desta universidade já enriqueceu a ciência com a descoberta de mais de 60 novas espécies de répteis, anfíbios, aves e mamíferos.



Desta vez regressaram de uma expedição de três meses na ilha da australásia com duas novas espécies de pequenas rãs, ambas pertencentes ao género Paedophryne. Uma delas é o animal vertebrado mais pequeno que se conhece.



A descrição científica desta nova descoberta foi descrita no último número da revista Plos ONE. A rã vive no solo, sob o manto vegetal húmido da floresta tropical.



Sobre a importância desta descoberta, Chris Austin disse: “A Nova Guiné é um local muito importante de biodiversidade e tudo aquilo que descobrirmos acrescenta novos conhecimentos sobre como é que a biodiversidade de gera e se mantém”.



“Os limites do tamanho dos vertebrados são de grande interesse para os biólogos, porque pouco se sabe sobre as limitações funcionais produzidas pelos tamanhos corporais extremos, seja grande ou pequeno”, acrescentou.



Conhecem-se mais de 60 mil vertebrados no mundo, o maior dos quais é a baleia azul (Balaenoptera musculus), com mais de 25 metros de comprimento. O mais pequeno, até à descoberta desta rã, era um peixe (Paedocypris progenetica), localizado na Indonésia, que mede entre os 7,9 e os 10 milímetros.

Tags: ,
0 comentários

Polícia alemã apreendeu uma centena de serpentes num hotel de Colónia

10/12

2011

às 18:48

 

A polícia alemã anunciou hoje ter descoberto, num quarto de hotel em Colónia, uma centena de serpentes, cerca de 70 tartarugas e 20 rãs que poderão estar a ser alvo de tráfico de espécies raras.



Os répteis e anfíbios foram encontrados num quarto ocupado por dois japoneses e um chinês, precisou um porta-voz dos serviços alfandegários em Essen, no oeste da Alemanha.



Os três homens foram identificados pelos funcionários do hotel, situado no centro da cidade da Renânia, e foi aberta uma investigação sobre suspeitas de tráfico de espécies raras. Os três suspeitos foram libertados após o pagamento de uma caução.



O jardim zoológico de Colónia deverá agora determinar se os animais pertencem a espécies protegidas, raras ou venenosas.

Alemão multado em 1500 euros por matar a rã do vizinho

19/05

2011

às 20:30

Um habitante de uma pequena cidade alemã foi multado em 1500 euros por ter matado a rã de estimação do vizinho, noticia o Daily Bhaskar. Christian Tenhofer, de 47 anos, admitiu em tribunal que matou a rã com uma arma pneumática porque o seu coaxar não o deixava dormir. Uma outra rã ficou ferida numa pata, também na sequência de um tiro.

 

O dono dos animais, que manteve a rã morta no congelador durante vários meses para a apresentar como prova em tribunal, alegou que o animal "nunca coaxou, provavelmente devido a um problema genético".

 

O tribunal de Krefeld decidiu multar Christian Tenhofer depois de os investigadores terem descoberto que ele adquiriu a arma ilegalmente. O tribunal considerou que a posse ilegal da armas era uma agravante.

Tags: ,
0 comentários

Rãs arborícolas voltaram a ter dentes no maxilar inferior há 20 milhões de anos

14/02

2011

às 18:30

 

A teoria de Dollo, também conhecida pela lei da irreversibilidade da evolução, defende que quando determinada característica de uma espécie desaparece, nunca mais é recuperada. Esta é uma das explicações para o facto de os seres humanos já não terem caudas, das aves e das tartarugas já não terem dentes e de as cobras terem perdido as patas. Mas um novo estudo desenvolvido por um investigador da Stony Brook University, em Nova Iorque (EUA) conclui que, embora as rãs tenham perdido os dentes do maxilar inferior há cerca de 200 milhões de anos, um determinado tipo de rã arborícola (Gastrotheca guentheri) ganhou esses dentes há cerca de 20 milhões de anos.



“É um caso muito particular, mas muito claro de re-evolução dado o curto espaço de tempo de intervalo”, explica John Wiens, autor do estudo entretanto publicado no jornal Evolution e citado pelo The New York Times. Este biólogo analisou amostra de DNA de 170 exemplares de rãs modernas e fossilizadas de forma a determinar as datas de perda e re-evolução dos dentes do maxilar inferior.



A maioria das rãs tem dentes no maxilar superior, o que poderá ter facilitado a re-evolução nas rãs arborícolas. Esta é a única espécie actualmente conhecida que possui dentes no maxilar inferior, embora outras espécies de rãs, com dentes no maxilar superior, possuam esmalte e dentina no outro maxilar. Segundo John Wiens, a grande questão que agora se coloca é a de saber por que razão estas rãs não desenvolvem dentes no maxilar inferior.

Tags: ,
0 comentários

Inglesa encontra rã dentro de garrafa de vinho

16/10

2010

às 16:21

 

Um supermercado inglês está a investigar a queixa de uma cliente, que diz ter encontrado uma rã no interior de uma garrafa de vinho comprada naquele estabelecimento comercial. Isolde Beesley afirmou à revista "Decanter" que a rã saiu da garrafa assim que começou a servir o Moscatel de Valência numa celebração familiar. Acrescenta que sentiu dores de estômago depois de ter bebido algum vinho, uma vez que inicialmente não se apercebeu da presença do batráquio no interior da garrafa.

 

Isolde Beesley, que vivem em Leicestershire, Inglaterra, disse que comprou a garrafa do supermercado Asda em Dezembro do ano passado e que só a abriu no início deste mês. Depois do sucedido, levou a garrafa, o resto do vinho e a rã à direcção do supermercado e exigiu que as garrafas do Moscatel de Valência fossem retiradas das prateleiras. Entretanto, contrator um advogado e pensa processar legalmente aquela unidade comercial por vender produtos impróprios para consumo humano.

 

Um porta-voz da Asda afirmou, ao jornal Orange News, que o caso foi já investigado e que não foi encontrado qualquer problema no processo de engarrafamento ou qualquer praga na fábrica. "Não sabemos como tudo isto poderá ter acontecido", referiu. "É praticamente impossível um objecto ou animal entrar numa garrafa durante o processo de engarrafamento".

Tags: ,
0 comentários

publicidade

Arquivo de artigos

Fale com o autora

envie os seus conteúdos para: fmariano@jn.pt

blogues associados

publicidade

Global Notícias SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.