Resultados por tag: touro

Cem polícias tentam apanhar touro fugitivo no Vietname

24/07

2012

às 15:19

 

Cerca de 100 polícias, soldados e rangers foram mobilizados para evitar que um touro em fuga atravesse as pistas do aeroporto da cidade vietnamita de Hue, que foi encerrado por motivos de segurança.



O animal, cuja origem se desconhece, foi avistado pela primeira vez na segunda-feira numa zona arborizada junto ao aeroporto, obrigando à mobilização de um elevado número de agentes de segurança, segundo o jornal britânico Telegraph.



Esta manhã, o touro ainda não tinha sido capturado, o que obrigou ao encerramento daquele equipamento aeroportuário e ao cancelamento de 15 voos domésticos. O diretor do aeroporto Phu Bai, Do Chi Thanh, referiu que a normalidade só será reposta quando o animal tiver sido apanhado.

Tags: ,
0 comentários

Chumbada proposta para proibir transmissão de touradas na televisão

06/07

2012

às 15:15

 

Os projetos de BE e PEV para proibir o apoio e exibição de touradas na televisão pública foram hoje chumbados, mas mereceram a abstenção e voto favorável de vários socialistas e um deputado do CDS-PP num dos diplomas.



Durante as votações na Assembleia da República, o projeto de lei apresentado pelos bloquistas para impedir o apoio institucional à realização de espetáculos que inflijam sofrimento físico, psíquico ou provoquem a morte de animais recebeu voto favorável de 12 deputados do PS (Francisco Assis, Pedro Nuno Santos, Pedro Alves, Duarte Cordeiro, Isabel Moreira, Acácio Pinto, Jacinto Serrão, Mário Ruivo, Ana Paula Vitorino, Nuno Sá, Filipe Neto Brandão, Inês de Medeiros) e do deputado do CDS-PP João Rebelo, para além do apoio do PEV.



Em relação a esta proposta, chumbada por PSD, CDS-PP, PS e PCP, abstiveram-se ainda cinco deputados socialistas (Ferro Rodrigues, Carlos Enes, Eduardo Cabrita, Elza Pais, Isabel Oneto).



Já o projeto do BE para proibir a exibição de espetáculos tauromáquicos na televisão pública e alterar a lei da televisão teve votos a favor do PEV e dos socialistas Isabel Moreira, Jacinto Serrão, Rosa Albernaz e Pedro Delgado Alves e a abstenção de 11 parlamentares do PS - Pedro Nuno Santos, Ferro Rodrigues, Ana Paula Vitorino, Eduardo Cabrita, Carlos Enes, Filipe Neto Brandão, Inês de Medeiros, Nuno Sá, Acácio Pinto, Francisco Assis e Mário Ruivo.



O projeto de lei do PEV para considerar as touradas um espetáculo ilícito e impor limites à sua emissão televisiva foi igualmente chumbado pela maioria, PS e PCP, mas contou com cinco votos a favor na bancada socialista (Pedro Delgado Alves, Nuno Sá, Isabel Moreira, Jacinto Serrão, Rosa Albernaz) e oito abstenções (Carlos Enes, Mário Ruivo, Inês de Medeiros, Pedro Nuno Santos, Ferro Rodrigues, Filipe Neto Brandão, Francisco Assis e Acácio Pinto).



No final da votação, a deputada do PSD Ângela Guerra anunciou uma declaração de voto conjunta com mais deputados da sua bancada, assim como os socialistas Pedro Delgado Alves e Jacinto Serrão, a bloquista Ana Drago e o social-democrata Matos Correia.

Exibição de touradas na televisão discutida hoje no Parlamento

04/07

2012

às 15:32

 

A exibição televisiva de touradas está hoje em discussão no Parlamento, que debate projetos lei do Bloco de Esquerda (BE) e de "Os Verdes", com a contestação das associações representativas dos setores ligados aos animais.



O BE, através de dois projetos de lei, defende o fim dos apoios públicos aos espetáculos que inflijam sofrimento físico ou psíquico ou provoquem a morte de animais e a alteração à lei da televisão para impedir a transmissão destes eventos nos canais do serviço público.



Os Verdes apresentam, por sua vez, um projeto-lei que assume as touradas como espetáculo "ilícito" e impõe "limites" à sua emissão televisiva.



As medidas são consideradas pela a Prótoiro - Federação Portuguesa das Associações Taurinas "um verdadeiro ataque à liberdade dos portugueses, impondo uma ditadura cultural".



Na audição pública convocada pelo BE sobre a temática, sessão que decorreu no dia 22 de junho na Assembleia da República, a deputada do Bloco Catarina Martins sublinhou que nenhum dos dois projetos de lei que vão apresentar "sugere a proibição das touradas".



"A única coisa que o BE defende, nestes seus projetos de lei, é que o Estado, o dinheiro público, não deve financiar a exposição do sofrimento animal e que a RTP não deve exibir espetáculos tauromáquicos", frisou.



O projeto de lei do partido ecologista Os Verdes propõe "uma alteração" à Lei de Proteção dos Animais que inverta o atual princípio hoje estabelecido de "licitude" das touradas para o princípio da sua "ilicitude", necessitando, para a sua realização, de uma autorização especial.



Os Verdes propõem também que as touradas sejam, para efeitos televisivos, classificadas para maiores de 18 anos, ficando sujeitas a todas as condicionantes exigidas para este tipo de classificação.



Em declarações à Lusa, Diogo Costa Monteiro, da Prótoiro, considera que "a cultura é do povo e não do Estado" e, por isso, acrescentou, "compete ao Estado defender e preservar a cultura e não criar uma".



Para a Prótoiro, os projetos-lei de Os Verdes e do BE são "próprios de regimes totalitários e fascistas, demonstrando uma total falta de respeito por quem não pensa como o legislador".



A Prótoiro diz ainda que não está sozinha nesta luta, contando com o apoio de mais de 14 associações na contestação aos projetos de lei dos dois partidos.



A Confederação de Agricultores de Portugal, a Federação Portuguesa de Caça, a Federação Equestre Portuguesa, o Clube Português de Canicultura e a secção de Municípios Portugueses com Atividade Taurina, da Associação Nacional de Municípios, são algumas das entidades que contestam os projetos dos dois partidos.



0 comentários

Nasceu em Lérida um vitelo com seis patas

13/06

2012

às 15:46

 

Na localidade de Olius, em Lérida (Espanha), nasceu um vitelo com seis patas, as quatro normais e duas outras que saem das costas, conta o jornal espanhol ABC.



Segundo Josep Sala, o proprietário do animal, trata-se de um vitelo normal, que come, corre e realiza as atividades habituais, apenas tem a particularidade de ter duas patas extra.



O vitelo, que tem três semanas, é fruto de inseminação artificial realizada com sémen de um touro americano. “Sempre fizemos inseminações com sémen deste tipo e nunca nos tinha acontecido nada semelhante”, explicou o ganadeiro, surpreendido.



Josep Sala explica que a deficiência se poder dever ao facto de a vaca ter dado à luz dois vitelos ao mesmo tempo, pelo que as duas patas extra poderiam pertencer a um terceiro animal que não se chegou a formar.



De qualquer maneira, a empresa que gere o sémen desta propriedade rural já recolheu uma amostra de ADN do vitelo para ver se a malformação é fortuita ou resultado de algum problema da parte do touro que doou o sémen.



O ganadeiro não sabe o que fazer com o vitelo de seis patas. Receia que se o operar para retirar as patas extra este possa ficar imobilizado, pois as patas nascem junto à coluna vertebral.

Tags: , , ,
0 comentários

População de Cárceres prefere gastar dinheiro em touradas do que na criação de emprego

03/06

2012

às 20:24

 

A população de três localidades da província espanhola de Cárceres decidiram hoje, em referendo, que a Câmara Municipal gaste 15 mil euros em largadas de touros do que na criação de postos de trabalho. Segundo o jornal espanhol El Mundo, 242 pessoas votaram a favor dos touros, 181 a favor do emprego.



A polémica criada durante a semana, ao saber-se da intenção de levar a cabo o referendo nas localidades de Guijo de Galisteo, Valrío e El Batán, terminou ontem ao saber-se do resultado da votação.



Apenas a localidade de Guijo de Galisteo aprovou a utilização do dinheiro na criação de postos de trabalho, com 115 votos, contra 40 a favor dos touros.



O presidente da Câmara Municipal já veio dizer que Guijo de Galisteo pode gastar os cinco mil euros que lhe cabem na criação de locais de trabalho, enquanto as restantes localidades podem utilizar o restante montante nas festividades, que incluem largadas de touros.



No referendo participaram apenas 30% dos 1400 eleitores (maiores de 16 anos) das três localidades. O presidente socialista da Câmara Municipal, Francisco Javier Antón, explicou que decidiu realizar o referendo tendo em conta a grave situação económica da autarquia e, principalmente, o crescimento do desemprego, que nos últimos meses atingiu já os 25%.

0 comentários

Cavalo e touro são protagonistas de feira em Badajoz

19/05

2012

às 13:38

 

Os mundos do cavalo e do touro vão ser os protagonistas do certame ECUEXTRE 2012, na cidade espanhola de Badajoz, em junho, que se assume como "a maior montra" daqueles dois setores "no sudoeste ibérico".



A ECUEXTRE 2012 - Feira do Cavalo e Feira do Touro é promovida pela Institución Ferial de Badajoz (IFEBA) e decorre naquela cidade espanhola, junto à fronteira com Portugal, de 21 a 24 de junho.



O evento, que a organização diz ter "forte vocação hispano-portuguesa", quer estimular negócios relacionados com os setores do cavalo e do touro e inclui ainda um variado programa de animação.



O certame, realçou hoje a organização, "promove ainda a atividade pecuária de cavalos de raças puras e pecuária brava" na região espanhola da Estremadura e em Portugal, assim como "o movimento" em torno da "criação do touro bravo e o mundo do cavalo e do desporto".



A IFEBA, que aguarda a presença de "milhares de visitantes de Espanha e Portugal", garantiu também que a feira "se está a consolidar como a maior montra dos setores do cavalo e do touro no sudoeste ibérico".



A IV Feira do Touro é uma das vertentes da ECUEXTRE e, nesta edição, homenageia o cavaleiro espanhol Pablo Hermoso de Mendoza, com uma exposição monográfica daquele que é considerado "uma autêntica lenda do toureio a cavalo".



A mostra acompanha a evolução dos 20 anos de percurso profissional do cavaleiro, através de lembranças, troféus, fotografias, cabeças de touros, apetrechos dos seus cavalos, equipamentos, documentos audiovisuais e objetos.



Os visitantes podem ainda participar ou assistir a outras atividades ligadas ao mundo do touro: sessões de autógrafos, tertúlias tauromáquicas, homenagem ao matador Juan Antonio Ruiz "Espartaco", atuações de grupos de forcados portugueses e de toureio a cavalo ou conferências.



"A Estremadura, atualmente, é a região espanhola que lidera a lista de matadores de touros" e este evento é "a montra perfeita" para "a festa da tauromaquia", referiu a IFEBA.



Quanto à Feira do Cavalo, o campeonato de Espanha de horse-ball, o campeonato da Estremadura de campeões de pura raça espanhola, concursos, exibição de ganadarias, garanhões e éguas, ou exibição de engates e carruagens são algumas das atrações.



O certame reúne, anualmente, "à volta de 150 a 200 cavalos de raças puras e de desporto", afirmou a organização, acrescentando que vão estar presentes puros sangue lusitanos, árabes e espanhóis, entre outros.


Concursos, exposição de acessórios e vestuário relacionados com o mundo equestre, venda de publicações e múltiplas atividades hípicas completam o programa.


Nas quatro jornadas da ECUEXTRE, as noites também prometem animação aos visitantes, que podem assistir a espetáculos equestres e musicais, assim como saborear a gastronomia dos estabelecimentos de restauração instalados no recinto.

0 comentários

Defensores dos animais querem festas académicas sem garraiadas

02/05

2012

às 18:11

 

O Movimento Universitário pelos Direitos dos Animais (MUDA) apelou hoje às organizações das festas académicas para não promoverem garraiadas, mas para a Queima das Fitas de Coimbra "a tradição é para manter viva".



"Manteremos viva esta tradição até que os estudantes queiram, mas se for por vontade deles, não se fará", disse hoje à Lusa Ana Pinho, responsável pela tradição da Queima, que começa às 00.00 horas de sexta-feira, com a Serenata Monumental.



Em comunicado hoje divulgado, o MUDA apela às comissões organizadoras das festas estudantis que "reconsiderem a realização de práticas violentas e de humilhação a animais" e considera as garraiadas "práticas desrespeitadoras da dignidade humana".



"Apelamos a todas as associações de estudantes e académicas para que, de modo exemplar, repudiem e retirem de qualquer atividade académica práticas que, ao ignorarem o próprio conhecimento cientifico produzido nas academias, inflijam sofrimento e humilhação a animais sencientes, capazes de sentir física e emocionalmente", refere a nota.



Na Queima das Fitas de Coimbra, "a garraiada propriamente dita" (que decorre dia 09, na Figueira da Foz), é um acontecimento em que "são soltas uma ou duas vacas e os estudantes brincam de forcados", clarificou Luís Amorim, comissário da representação institucional da Queima, em declarações à Lusa.



Antes da sessão com os estudantes, há uma tourada, "com cavaleiros amadores e forcados", acrescentou, garantindo que a garraiada "está longe de ser uma tourada normal em que o touro fica ensanguentado naquele jogo, há realmente a tourada mas a violência não é tão acentuada como nas touradas tradicionais"



"Todos os anos há imensa adesão, com centenas de estudantes", disse Ana Pinho.



A Garraiada, a par da Bênção da Pasta e da Serenata, é um dos "acontecimentos marcantes" que fazem com que a Queima das Fitas de Coimbra seja "uma festa académica única", no entender de Luís Amorim.



Segundo a tradição académica, precisou, os estudantes ficam na zona dos concertos, em Coimbra, "até às 6 horas, seguem depois em comboios (fretados pela organização) para a Figueira da Foz, dormem um bocadinho na praia, almoçam e, por volta das 14:30/15:00, vão para a Praça de Touros".



"No fim, os estudantes vão para o meio da arena mostrar à sociedade que estão fitados (pré-finalista)", acrescentou.



O MUDA sugere às associações académicas e de estudantes que "canalizem os recursos económicos e humanos investidos em práticas desrespeitadoras da dignidade humana, como as garraiadas, para uma maior mobilização e sensibilização para as dificuldades que a comunidade estudantil atravessa, ao invés da promoção de espaços de alienação".


0 comentários

Começou a época tauromáquica na ilha Terceira

01/05

2012

às 14:13

 

A época tauromáquica da ilha Terceira, nos Açores, começa hoje com a realização de três touradas à corda, estando previstas mais de duas dezenas destas manifestações tauromáquicas até ao final de maio.



Os primeiros touros do ano saem à rua às 18.30 horas (19.30 horas em Lisboa) nas freguesias das Fontinhas, S. Sebastião e Ribeirinha, abrindo uma época que se vai prolongar até 15 de outubro.



Para este mês estão previstas 21 touradas à corda na Terceira, das quais 16 no concelho de Angra do Heroísmo e cinco no concelho da Praia da Vitória, destacando-se o dia 19 de maio por ter cinco touradas em simultâneo em vários pontos da ilha.



No ano passado, a época de touradas à corda contou com a realização de 257 eventos, distribuídos pelos dois concelhos da Terceira, onde este espetáculo assume uma dimensão única no arquipélago.



Este espetáculo popular, que atrai milhares de pessoas, entre residentes e turistas, decorre na rua, em espaços delimitados por riscos, sendo os quatro touros que saem em cada corrida amarrados por uma corda, que é segurada por cerca de uma dezena 'pastores'.



Ninguém cobra bilhetes por uma tourada à corda e os 'capinhas' que desafiam o touro são amadores, mas a festa tem um peso económico significativo na economia da ilha, seja nas tascas ambulantes que se instalam no local ou nas compras que se fazem para montar as mesas fartas que são oferecidas pelos moradores a quem passa.

0 comentários

Touro JR tem os cornos mais compridos do mundo: 2,77 metros

16/02

2012

às 16:12

 

Um touro da raça Texas Longhorn é detentor dos maiores cornos do mundo. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, os chifres de JR, de sete anos, medem 2,77 metros e continuam a crescer.



JR vive no Leahton Park, em Queensland, na Austrália, e arrebatou o título de detentor dos maiores cornos do mundo a um touro de Ohio, nos Estados Unidos, chamado Shadow Jubilee, cujos chifres medem 2,24 metros.



O dono de JR, Michael Bethel, 50 anos, começou a criar gado da raça Texas Longhorn há 14 anos. Segundo ele, “JR não tem noção da atenção que atrai por ter quebrado um recorde. Ele é feliz e saudável e nós não lhe damos um tratamento diferente”.



“Ele só tem sete anos e ainda tem muito para crescer – podem viver até aos 20 anos -, pelo que os cornos podem ficar maiores”, acrescentou.

          

Tags: ,
0 comentários

Grupo anti-tourada francês perde processo em tribunal

03/11

2011

às 18:45

 

A justiça francesa rejeitou hoje o pedido da Aliança Anti-Corrida de anulação da decisão do governo de classificar a tourada como “património cultural imaterial”, noticia o jornal espanhol ABC.



Em Abril passado, o Ministério da Cultura francês decidiu considerar a fiesta parte do patimónio cultural imaterial do país, o que gerou críticas por parte dos opositores à festa brava.



A Aliança Anti-Corrida tentou anular a decisão com recurso à via judicial, mas o tribunal admnistrativo rejeitou o seu pedido, “sem entrar no fundo da questão”, acusa.



Os defensores dos direitos dos animais já anunciaram que não vão baixar os braços e vão continuar a recorrer da decisão, “se necessário, até ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem”, garantem.

0 comentários

Fim das touradas de morte referendado no sábado no Equador

05/05

2011

às 15:30

O Equador realiza no sábado um referendo para definir, entre outros aspectos, o futuro da festa brava naquele país, nomeadamente a proibição das touradas de morte, tal como acontece em Portugal. A consulta pública, promovida pelo Presidente Rafael Correa, abriu um intenso debate entre os aficcionados das touradas e os defensores da abolição imediata destes acontecimentos.

 

Os primeiros exigem "respeito" por uma tradição centenária, com mais de 500 anos, enquanto os activistas contra as touradas pedem o fim da "tortura" de animais. "Está de acordo que na província do seu domicílio sejam proibidos os espetáculos que tenham como finalidade a morte de um animal?", questiona a oitava pergunta do referendo, que também irá abordar outras áreas, como a justiça, a proibição dos jogos de azar e a regulação dos negócios nos sectores bancário e da comunicação social.

 

A capital do país, Quito, recebe uma das feiras taurinas mais prestigiadas do continente americano, mas a maioria dos aficcionados pelas touradas pertencem às classes mais altas. "Há uma incerteza, não sabemos qual será o futuro da festa no Equador caso ganhe o 'sim'", afirmou à agência espanhola EFE Luis Fernando García, proprietário de uma das principais ganadarias do país. Há no Equador cerca de 30 ganadarias que criam touros bravos. Do outro lado, a activista Maria Caridad Vázquez assegurou que "são as novas gerações que estão a reagir contra as corridas de touros e serão estas mesmas gerações que vão continuar a defender os animais".

 

O parlamento da Catalunha (Espanha) proibiu no ano passado as corridas de touros, e o debate sobre esta matéria ganhou novo fôlego no México, o principal centro da actividade tauromáquica na América, onde os senadores do Partido Revolucionário Institucional (oposição) estão a preparar uma lei de proibição das touradas.

 

As corridas de touros também são praticadas na Colômbia, Peru, Venezuela, Costa Rica, Panamá e Bolívia, bem como em França, onde foram declaradas património cultural, e em Portugal, onde as touradas de morte estão interditas.

0 comentários

Ministro francês da Cultura não gosta "particularmente de touradas"

27/04

2011

às 16:36

 

O ministro francês da Cultura, Frédéric Miterrand, disse hoje, à France Press, que não tem “uma particular simpatia pelas touradas”, respondendo Assim às muitas críticas que lhe têm sido dirigidas, depois de ter declarado as corridas de touro património cultural de França, como demos aqui conta.



“Não tenho qualquer simpatia pela tauromaquia, nem pela caça, nem pela matança de animais por causa da sua pele, nem pelo transporte de animais numa situação degradante, mesmo que não coloque todas estas práticas no mesmo plano”, afirmou Frédéric Miterrand, durante uma visita à ilha de Reunião, depois de questionado pela AFP sobre as duras críticas que lhe foram feitas pela actriz Brigitte Bardot.



Numa carta tornada pública através da sua associação de defesa dos direitos dos animais, Brigitte Bardot classificou Frédéric Miterrand como “ministro da incultura”, acusando-o de ter feito “a maior asneira da sua vida” ao inscrever a tauromaquia no inventário de bens culturais do país.



“A inscrição da tourada num inventário do património cultural que é feito todos os anos pelo Ministério da Cultura não tem qualquer outro valor do que o de pertencer a essa inventário”, defendeu o governante. “Isso não significa que o Ministério da Cultura apoia ou vá apoiar a candidatura da tourada a património imaterial da Unesco. São duas coisas distintas”, sustentou.

0 comentários

França declara tourada bem de interesse cultural

22/04

2011

às 17:46

 

O Ministério da Cultura francês comunicou hoje que o Governo declarou a tourada como bem de interesse cultural, segundo o jornal El Mundo. No comunidado, emitido no momento em que no sul do país se realiza a Feira de Arles, um importante evento taurino, pode ler-se: “Esta medida constitui o reconhecimento, pela instância competente, da dimensão cultural da tauromaquia tal como se pratica e como a vivem os profissionais e amadores que compõem o mundo taurino”.



A França torna-se no primeiro país taurino a dar este passo. Segundo o documento aprovado pelo Ministério, a medida tem como objectivo “salvaguardar a cultura taurina da França e afirmar o aspecto cultural desta tradição”.



As corridas de touros têm uma importante presença em quatro regiões do sul do país (Aquitânia, Médios Pirineus, Languedoc-Roussillon e Provença). Todos os anos, meia centena de cidades celebram espectáculos tauromáquicos e em cidades turísticas, como Arles ou Nimes, as festas atraem milhares de turistas e aficcionados de todo o mundo.



“A corrida é, em grande parte, depositária da riqueza e da diversidade do património taurino francês e, mais do que isso, é formadora de uma unidade de identidade territorial do sudoeste e do sudeste, apesar das especificidades locais deste evento em cada zona”, pode ainda ler-se no comunicado. Este reconhecimento, consequência da campanha orquestada pelo Observatório das Culturas Taurinas francês, pode ser acompanhados de outras medidas, como subvenções ou campanhas de promoção.



As corridas foram introduzidas em França no século XIX e são autorizadas nas quatro regiões acima citadas, que beneficiam de uma derrogação legislativa ao artigo do código penal que pune todo o acto de crueldade contra um animal, domesticado ou em cativeiro, que exclui as corridas de touros quando “uma tradição local ininterrupta pode ser comprovada”.

Garraiada voltou à semana académica de Vila Real

08/04

2011

às 10:30

 

O regresso da garraiada à festa académica de Vila Real originou ontem um protesto pacífico em defesa dos direitos dos animais e opôs os aficionados e os críticos desta corrida, que teve como vedeta uma vaca. A garraiada, uma corrida com vacas ou touros novos, foi abolida há dois anos por um grupo de alunos da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), mas regressou este ano à semana académica daquela instituição, noticiou a agência Lusa.


Durante a tarde, muitos foram os alunos que se juntaram no campus da universidade para ver ou enfrentar as cinco vacas que entraram na arena, enquanto outros estudantes, acompanhados por outras pessoas da cidade de Vila Real, protestaram de forma pacífica contra a iniciativa.


Um dos contestatários do regresso da garraiada foi Mário Pinto que se mostrou contra a "discriminação entre espécies". "Esta acção é focalizada na garraiada, mas é alargada ao conceito de que os animais não podem ser motivo de divertimento para nós, quando isso implica o seu sofrimento ou humilhação", salientou.


Mário Pinto sublinhou que a manifestação quis "marcar um ponto" e "não criar qualquer atrito". "O ser humano é o único ser capaz de interpretar ética e bem-estar animal e é por isso que nós lutamos", referiu.


António Brandão salientou que a defesa dos animais transcende o "meio académico" e sublinhou a necessidade de sensibilizar quer os alunos, quer a comunidade em geral. "Achamos mais constructivo que haja evolução e a postura das pessoas seja diferente", frisou.


Maria João Manso foi uma das responsáveis pelo regresso da garraiada à Semana Académica. "É natural que seja um tema que dê muita polémica, que vai dar sempre, mas estamos aqui não para humilhar qualquer tipo de animal. Quisemos fazer regressar uma tradição à nossa universidade. Já vamos perdendo tantas, porque perder mais esta", salientou.


Maria João acrescentou que se trata de uma tradição com mais de 20 anos da UTAD e com mais de 50 em outras universidades como de Coimbra, Évora ou Lisboa. Para esta estudante, o que é preciso é "respeitar as diversas opiniões sobre o tema".


Quem não se importou com a polémica à volta do assunto foi Manuel Mendes, que com outros colegas saltou para a arena para fazer uma pega à vaca. Enquanto este aluno agarrava o animal pelos cornos cortados, outros puxavam pelo *** ou pelo corpo da vaca. E, entre tombos e empurrões, Manuel confessou ter "muito gosto" pelas garraiadas, ou não confessasse ser ribatejano de nascença. "A vaca tem muita força e mais me maltratou ela a mim do que eu a ela. É uma brincadeira", salientou.


Pelo meio, os manifestantes apresentaram uma queixa ao Serviço de Protecção (SEPNA) na Natureza e Ambiente da GNR, que se deslocou ao local para averiguar a documentação dos animais e as condições em que decorreu o espectáculo.

0 comentários

Televisão pública espanhola considera que as touradas constituem violência contra animais

08/01

2011

às 17:10

 

A televisão estatal espanhola anunciou, esta semana, que vai deixar de transmitir espectáculos tauromáquicos para proteger os menores, segundo a edição de hoje do jornal El País. O Manuel de Estilo da RTVE, entregue no final de Dezembro à comissão mista de Controlo do Congresso e do Senado, enquadra as touradas no capítulo intitulado “Violência contra animais” e especifica que o canal de televisão “não transmitirá corridas de touros, porque os seus horários geralmente coincidem com o horário protegido ou de especial protecção da infância”. A empresa argumenta que a franja infantil se estende das seis da manhã às 10 da noite.



No documento, o canal de televisão público espanhol especifica que as crianças podem sofrer de ansiedade a violência exercida sobre os animais, “pelo que o devemos evitar por todos os meios”. Contudo, a RTVE assegura que não é indiferente à relevância que tem o mundo da tauromaquia nem a sua influência em muitos aspectos sócio-culturais e, por isso, essa realizada deve reflectir-se na programação do canal.



Para cumprir esse objectivo, serão transmitidos programas próprios na TVE e na RNE e será feito um acompanhamento informativo dos “aspectos artísticos, literários, ambientais e sociais” sobre o toiro de lide e a tauromaquia e a TVE continuará a transmitir as festas de San Fermín.Esta decisão tinha já sido anunciada pelo presidente da empresa em Fevereiro do ano passado. No Parlamento, Alberto Oliart afirmou: “Temos um problema relacionado com o horário de especial protecção da infância”. O PP criticou esta decisão e notou o facto de a televisão estatal vetar as corridas de touros, mas o mesmo não acontecer com os canais autonómicos.


publicidade

Arquivo de artigos

Fale com o autora

envie os seus conteúdos para: fmariano@jn.pt

blogues associados

publicidade

Global Notícias SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.